Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

27/10/2015

Carnes industrializadas são cancerígenas, diz OMS

Com informações da BBC
Carnes industrializadas são cancerígenas, diz OMS
Compostos químicos mutagênicos são gerados por reações químicas como as que ocorrem no escapamento dos carros e ao grelhar a carne.[Imagem: Heather Luis/USDA]

Carne cancerígena

Um novo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o consumo de carne processada - como bacon, salsichas e presunto - causa câncer.

Segundo o documento, 50 gramas de carne processada por dia, o equivalente a duas fatias de bacon, aumentam a chance de desenvolver câncer colorretal em 18%.

De forma mais branda, pela falta de provas mais contundentes, a OMS também reforçou o alerta em relação à carne vermelha, dizendo que ela seria "provavelmente cancerígena".

No tocante à carne vermelha, os dados não são estatisticamente tão significativos quanto os das carnes industrializadas, com indícios de que comer carne bovina, carne de porco ou cordeiro "podem causar câncer".

A OMS destaca que um consumo baixo de carne traz benefícios à saúde, mas os consumidores precisam saber que também existem riscos e, assim, comer carne com moderação. A carne vermelha é uma grande fonte de ferro, zinco e vitamina B12.

Há também indícios de que carnes preparadas em altas temperaturas, ou grelhadas como churrasco, podem trazer riscos à saúde, incluindo o risco de demência.

Aditivos da carne industrializada

Carne processada é a carne que foi modificada para aumentar seu prazo de validade ou manipular o gosto. São as carnes defumadas, curadas ou que recebem aditivos como sal ou conservantes.

Essa categoria inclui bacon, salsichas, linguiças, salame, carnes curadas ou salgadas e presunto, além de carnes enlatadas e molhos à base de carne.

Segundo a OMS, são os aditivos colocados nesses produtos que podem aumentar o risco de desenvolver câncer.

A OMS chegou a essas conclusões baseada em estudos da Agência Internacional para Pesquisa do Câncer, que avalia os melhores dados científicos disponíveis. Com a decisão, a carne processada passa a estar na mesma categoria - o chamado Grupo 1 - que o cigarro e as bebidas alcoólicas, substâncias que comprovadamente causam câncer.

No entanto, isso não significa que consumir bacon, por exemplo, seja tão ruim quanto fumar. "Para um indivíduo, o risco de desenvolver câncer colorretal (no intestino) por causa do consumo de carne processada continua pequeno, mas este risco aumenta com a quantidade de carne consumida", disse Kurt Straif, da OMS.

Moderação

Para o professor da Universidade de Oxford Tim Key, que também é membro da organização beneficente britânica voltada para pesquisa do câncer Cancer Research UK, é uma questão de moderação.

"Esta decisão não significa que você precisa parar de comer qualquer tipo de carne vermelha ou processada, mas se você come muito, há boas razões para pensar em diminuir. Comer bacon de vez em quando não vai causar muito dano - uma dieta saudável é baseada na moderação," afirmou.


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Câncer

Consumo Responsável

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ultrassom no 1º trimestre de gravidez pode agravar autismo

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão