Cartilha alerta para uso correto do protetor solar

Uso correto do protetor solar

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgaram nesta semana um boletim sobre o uso correto de protetor solar.

O documento ratifica a importância da proteção contra os raios ultravioleta, que contribuem para o desenvolvimento de câncer de pele e o envelhecimento precoce.

Ao comprar o protetor solar, o consumidor deve estar atento ao número do FPS mencionado no rótulo do produto, que identifica o grau de proteção oferecida. A Anvisa e o DPDC lembram que os raios solares podem provocar queimaduras, envelhecimento precoce, câncer de pele, danos nos olhos e no sistema imunológico, entre outras enfermidades.

Orientação sobre o uso do protetor solar

O documento destaca que o uso diário de protetor solar com fator de proteção (FPS) de no mínimo 15 é indispensável para todas as pessoas, independentemente da cor da pele.

Outra orientação é evitar a exposição ao sol entre as 10h e as 16h, assim como usar chapéu com abas e óculos escuros. Também é importante lembrar de passar protetor nas orelhas, no pescoço, nariz, nos pés e nas mãos.

A recomendação do boletim, assim como da cartilha do Instituto Nacional de Câncer (Inca), é que o protetor solar seja aplicado na pele pelo menos 30 minutos antes da exposição ao sol. Ele deve ser reaplicado após o contato com a água e depois de duas horas de exposição contínua ao sol.

Cuidados com a pele depois do verão

O boletim lembra que esses cuidados devem ser tomados durante todo o ano e não só no verão, pois os raios ultravioleta conseguem alcançar a Terra também em dias nublados e com pouca luminosidade.

Segundo o Inca, o câncer de pele é o mais frequente no Brasil e corresponde a 25% de todos os tumores malignos registrados no país. A pesquisa, divulgada em novembro de 2009, prevê que ao longo deste ano deverão ocorrer 113 mil casos de câncer de pele não melanoma, causado principalmente pela exposição ao sol.

Veja abaixo a ÍNTEGRA da Cartilha.

Verão mais seguro: orientações sobre protetor solar

Com a chegada da estação do verão é necessário aumentar os cuidados com a proteção da pele, pois a exposição excessiva ao sol contribui para o desenvolvimento do câncer de pele e o envelhecimento precoce.

Esses cuidados contra os efeitos danosos do sol, que são cumulativos, devem se estender durante todo o ano e não só no verão, pois os raios ultravioletas (UV) conseguem alcançar a Terra também em dias nublados e com pouca luminosidade.

Para melhor entender o conceito, a radiação ultravioleta (UV) é formada por raios UVA, UVB e UVC que são invisíveis, mas penetram na pele e podem provocar queimadura solar, envelhecimento precoce, câncer de pele, além de danos nos olhos e no sistema imunológico.

A radiação UVA possui intensidade o ano todo e penetra na pele profundamente enquanto a radiação UVB tem intensidade maior no verão e ela que causa a queimadura solar e predispõe ao câncer de pele. Por isso, os cuidados com a exposição ao sol devem iniciar principalmente na infância porque a radiação é cumulativa e se estende ao longo da vida.

Usar protetor solar com Fator de Proteção (FPS) de no mínimo 15, diariamente, independente da cor da sua pele; evitar expor-se ao sol no período entre 10 e 16 horas; usar chapéu com abas, óculos escuros e roupas apropriadas, são medidas que ajudam a se proteger e aproveitar melhor o verão e as outras estações.

Conceito dos protetores solares

Os protetores solares são produtos de uso externo que contêm em sua formulação filtros solares que são substâncias químicas e/ou físicas que atuam como barreiras protetoras da pele protegendo-a contra as radiações solares.

FPS - Fator de Proteção Solar

FPS - Fator de Proteção Solar - mencionado no rótulo do produto identifica a proteção oferecida pelo produto contra os raios UVB.

Para fins de registro dos protetores solares, a Anvisa estabelece metodologias de referências para determinação do nível de proteção solar e para resistência à água e também estabelece a lista de substâncias que podem ser usadas como filtro solar em produtos cosméticos.

Além disso, determina como requisitos obrigatórios os dados de segurança e a comprovação de eficácia, dentre outros. Para registro destes, é necessária ainda, a apresentação de teste de eficácia de uso do produto acabado antes da liberação para o mercado.

Orientações na compra e uso de protetores solares

Aplique o protetor solar na pele no mínimo 30 minutos antes da exposição ao sol. Todos os protetores solares, mesmo os resistentes à água, devem ser reaplicados após:

  • duas horas de exposição contínua ao sol
  • nadar ou mergulhar
  • secar-se com toalhas
  • praticar exercícios físicos
  • suar excessivamente

Utilização do protetor solar

Ao comprar um protetor solar, leia e observe atentamente se na embalagem contém:

  • Número de registro do produto na Anvisa/MS. O número de registro de produtos cosméticos inicia-se com o número 2 e pode ter 9 ou 13 dígitos.
  • Indicação do FPS (de acordo com o tipo de pele)
  • Modo de usar
  • Prazo de validade
  • Indicação da necessidade de reaplicação do produto para manutenção de sua eficácia
  • Orientações e advertências, tais como: "Atenção: este produto não oferece nenhuma proteção contra insolação".

Outras dicas para uso do protetor solar

Não se esqueça de passar protetor nas partes mais vulneráveis como: orelhas, pescoço, nariz, pés e mãos.

Lembre-se: a simples utilização do protetor solar não garante a total prevenção, e nem significa que podemos nos expor por mais tempo ao sol, o objetivo do seu uso é amenizar e proteger dos efeitos nocivos da radiação solar.

Além disto, o produto só será eficaz se utilizado corretamente.

Providências e suporte legal

Código de Defesa do Consumidor art. 6°, I e II; art. 18, §6°, I a III; e art. 31. Resolução nº237, de 22 de agosto de 2002. Resolução - RDC nº47, de 16 de março de 2006.Cartilha de proteção solar - Anvisa. Estabelecimentos e produtos com problemas devem ser denunciados à Vigilância Sanitária mais próxima do consumidor. Denúncias também para o e-mail:ouvidoria@anvisa.gov.br. Pedidos de informação para a Central de Atendimento da Anvisa - 0800 642 9782. Orientações podem ser obtidas pelo Disque-Intoxicação (0800 722 6001). Mais informações: http://portal.anvisa.gov.br/wps/portal/anvisa/home/cosmeticos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cuidados com a Pele

Diversão

Consumo Responsável

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.