Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

08/03/2012

Cientistas descobrem uma chave que desliga a dor

Redação do Diário da Saúde

Interruptor para a dor

Todos já nos acostumamos com a ideia de analgésicos e anestesias, mas seria muito melhor se houvesse uma forma de simplesmente desligar a dor.

A ideia de um interruptor da dor é um conceito muito atraente, mas será que é algo realista?

Muito provavelmente, porque químicos acabam de demonstrar em experiências de laboratório e em animais que é possível inibir a atividade de neurônios sensíveis à dor, utilizando um agente que atua como um interruptor fotossensível.

Ou seja, eles construíram um inibidor neural da dor controlado pela luz.

A notícia coincide com um anúncio feito há poucos dias por uma outra equipe de cientistas, da descoberta de uma espécie de "chave geral para o sistema imunológico".

Molécula chave

O novo composto fotoquímico contra a dor, batizado de QAQ, foi desenvolvido por Dirk Trauner e seus colegas da Universidade Ludwig-Maximilians (Alemanha), em colaboração com colegas em Berkeley (EUA) e Bordeaux (França).

Segundo eles, sua técnica é uma ferramenta valiosa para estudos sobre a neurobiologia da dor. Mas pode ser muito mais no futuro.

A molécula é composta de duas partes funcionais, cada uma contendo um amônio quaternário, ligados entre eles por uma ligação dupla de hidrogênio (N = N).

É esta ponte que forma a "chave", já que sua conformação física pode ser alterada pela luz.

Iluminá-la com luz de um comprimento de onda específico faz com que a molécula se altere, passando de uma forma inclinada para uma forma estendida; a exposição à luz de uma cor diferente reverte o efeito.

Lidocaína

Uma metade da QAQ se assemelha a um dos análogos ativos da lidocaína, um anestésico local muito usada por dentistas.

A lidocaína bloqueia a percepção da dor inibindo a ação de neurorreceptores encontrados em células nervosas específicas na pele, que respondem a estímulos dolorosos e transmitem sinais para a medula espinhal.

Neurorreceptores são proteínas que atravessam a membrana exterior das células nervosas. Elas possuem poros deformáveis que se abrem em resposta a estímulos adequados, e funcionam como canos que permitem que íons eletricamente carregados passem para dentro ou para fora das células.

O canal de íons alvejado pela porção da QAQ semelhante à lidocaína responde ao aquecimento induzido pela luz, permitindo que os íons de sódio carregados positivamente passem para o interior das células.

Isto altera o potencial elétrico através da membrana, o que, em última análise, conduz a transmissão de impulsos nervosos.

Desligando a dor

Em seus experimentos, os pesquisadores se aproveitaram do fato de que QAQ pode infiltrar-se através de canais iônicos endógenos para introduzir a molécula nas células nervosas.

Este é um passo crucial, porque seu ponto de ação está localizado na face interior do canal de íons alvejado.

Além disso, a "porção lidocaína" da QAQ se liga a este local apenas se a molécula estiver em sua conformação estendida.

Quando as células foram irradiadas com luz com comprimento de onda de 380 nanômetros, que faz a ponte se curvar, a transmissão do sinal foi reativada em uma questão de milissegundos, religando a transmissão dos sinais de dor.

A exposição à luz com um comprimento de onda de 500 nanômetros, por outro lado, reverte a molécula para a forma estendida e restaura a sua ação inibitória da dor, ou seja, a molécula funciona realmente como um interruptor de dor reversível.

O efeito analgésico do interruptor de dor foi confirmado utilizando animais de laboratório.


Ver mais notícias sobre os temas:

Desenvolvimento de Medicamentos

Medicamentos

Dores Crônicas

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão