Cientistas ateus com filhos adotam tradições religiosas

Cientistas ateus com filhos adotam tradições religiosas
Os cientistas ateus querem que suas crianças conheçam as diferentes religiões para que possam tomar decisões mais bem fundamentadas sobre suas próprias preferências religiosas.
[Imagem: Rice University]

Preferências religiosas

Estudos já demonstraram que as pessoas religiosas são mais felizes do que os ateus.

E, a depender de suas ações em relação aos próprios filhos, os ateus também parecem acreditar nisso.

Um novo estudo revelou que 17% dos cientistas que se declaram ateus e que possuem filhos, adotam tradições religiosas.

Uma das conclusões do estudo é que esses cientistas ateus querem que suas crianças conheçam as diferentes religiões para que possam tomar decisões mais bem fundamentadas a respeito de suas próprias preferências religiosas.

Escolha religiosa

"Nossa pesquisa mostrou o quão intimamente ligadas estão a religião e a família na sociedade - tanto que mesmo algumas das pessoas menos religiosas da sociedade acham que a religião é importante em suas vidas privadas," afirmou Elaine Howard Ecklund, da Universidade Rice (EUA).

O estudo incluiu 275 cientistas de 21 universidades de elite dos Estados Unidos, que se declararam ateus, de uma amostra de 2.198 pesquisadores.

"Nós pensávamos que essas pessoas estariam menos inclinadas a iniciar suas crianças nas tradições religiosas, mas descobrimos que é exatamente o contrário," disse a pesquisadora.

"Eles querem que suas crianças tenham escolha, e a exposição a todas as fontes de conhecimento é mais consistente com sua identidade científica," afirma.

Fontes de conhecimento

Os cientistas citaram várias razões pessoais e sociais para integrarem a religião em suas vidas.

A primeira delas foi o desejo de expor suas crianças a todas as fontes de conhecimento, o que inclui a religião, permitindo que elas façam suas próprias escolhas sobre sua identidade religiosa.

Outro fator importante foi a influência do esposo ou esposa, quando os cientistas foram levados à prática religiosa por influência do parceiro.

Por último, destaca-se o desejo de integração com a comunidade, em busca de um comportamento e de uma comunidade morais, mesmo que eles próprios não concordem com a argumentação religiosa.


Ver mais notícias sobre os temas:

Espiritualidade

Educação

Comportamento

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.