Cientistas encontram conexão entre obesidade e glutamato monossódico

Glutamato monossódico e obesidade

Pessoas que utilizam o glutamato monossódico, comercialmente conhecido por várias marcas, para realçar o sabor dos seus alimentos, estão mais propensas do que pessoas que não o utilizam a ficarem acima do peso ou obesas, mesmo que tenham o mesmo nível de atividades físicas e de ingestão total de calorias, de acordo com uma pesquisa feita na Universidade de Carolina do Norte, nos Estados Unidos, e publicada neste mês no jornal Obesity.

Os pesquisadores norte-americanos e seus colegas na China estudaram mais de 750 homens e mulheres chineses, com idades entre 40 e 59 anos, em três vilas rurais no norte e no sul da China. A maioria dos participantes prepara sua comida em casa sem a inclusão de alimentos processados industrialmente.

Mais sabor e mais peso

Cerca de 82% dos participantes usam o glutamato monossódico em sua comida. Esses usuários foram divididos em três grupos com base na quantidade de glutamato monossódico que eles consomem. O grupo que mais utiliza o realçador de sabor é quase três vezes mais propenso a ter sobrepeso do que os não usuários do tempero.

"Estudos em animais têm indicado há anos que o glutamato monossódico pode estar associado a ganho de peso," diz o pesquisador Ka He. "O nosso é o primeiro estudo a mostrar uma conexão entre o consumo de glutamato monossódico e os ganhos de peso em humanos."

Realçador de sabor

Como o glutamato monossódico é utilizado como realçador do sabor em muitos alimentos processados industrialmente, estudar o seu efeito em humanos tem sido uma tarefa difícil. He e seus colegas resolveram estudar pessoas vivendo na zona rural em vilas chinesas porque eles usam muito poucos alimentos processados, mas muitos usam o glutamato monossódico regularmente na preparação de sua comida.

"Nós descobrimos que a prevalência de excesso de peso é significativamente maior entre os usuários do glutamato monossódico do que em não usuários," diz He. "Nós vimos esse risco mesmo quando nós controlamos para atividade física, ingestão total de calorias e outras possíveis explicações para a diferença na massa corporal. As associações positivas entre a ingestão de glutamato monossódico e o excesso de peso foram consistentes com os estudos em animais."

Seguro, mas pouco saudável

Como o percentual de pessoas obesas e com excesso de peso ao redor do mundo continua a aumentar, diz o pesquisador, descobrir sinais das causas pode ser muito importante.

"A FDA dos Estados Unidos e outras associações de saúde ao redor do mundo concluíram que o glutamato monossódico é seguro," diz He. "mas a questão permanece - ele é saudável?"


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Conservação de Alimentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.