Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

13/02/2013

Comprovado cientificamente: dar é melhor do que receber

Redação do Diário da Saúde

Bondade saudável

Os cientistas parecem estar se aproximando do saber anunciado há milênios por espiritualistas, religiosos e sábios em geral.

Um estudo com duração de cinco anos, conduzido por pesquisadores de três universidades norte-americanas, concluiu que, de fato, dar é melhor do que receber.

Ou, no mínimo, que a bondade, expressa na forma de bens ou assistência aos outros, faz bem à própria saúde.

Os resultados mostraram que fornecer assistência material aos outros protege a saúde e aumenta a expectativa de vida de quem dá.

Sociabilidade e saúde

"Este estudo dá uma contribuição significativa para a literatura científica sobre o relacionamento entre o ambiente social e a saúde, e especificamente para a nossa compreensão de como fornecer assistência aos outros pode trazer benefícios à saúde para quem dá por meio do amortecimento dos efeitos negativos do estresse," disse o Dr. Michael Poulin, PhD, da Universidade de Buffalo (EUA).

Segundo os autores, embora já tenha sido bem comprovado que o isolamento social e o estresse têm forte valor preditivo sobre a mortalidade e a morbidade, não havia sido possível até agora demonstrar que fornecer suporte social a outros poderia beneficiar a própria saúde.

"Ao longo dos cinco anos do estudo, nós demonstramos que, quando lidamos com situações estressantes, aqueles que ajudaram os outros durante o ano anterior tinham menos probabilidade de morrer do que aqueles que não ajudaram os outros," disse Poulin.

Poder da bondade

As experiências estressantes relatadas pelos participantes incluíam coisas como doenças graves, assaltos, perda de emprego, dificuldades financeiras ou morte de um membro da família.

Os entrevistados também relataram a quantidade total de tempo nos últimos 12 meses que eles gastaram ajudando amigos, vizinhos ou parentes que não moram com eles, fornecendo transporte, levando recados, fazendo compras, realizando tarefas domésticas, cuidando e outras tarefas.

"Nossa conclusão," diz o pesquisador, "é que ajudar os outros reduz a mortalidade especificamente por meio do amortecimento da associação entre estresse e mortalidade.

Ou seja, a bondade pode ser uma "arma social" contra o estresse e a mortalidade precoce, já que outros estudos demonstraram que os atos de bondade espalham-se pela sociedade.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sentimentos

Relacionamentos

Espiritualidade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão