Vila dos Anciãos: arquitetura propõe conceito de moradia para idosos

Vila dos Anciãos: arquitetura propõe conceito de moradia para idosos
Uma residência onde moram pessoas de idade deve ter algumas adaptações para facilitar a rotina de seus moradores.
[Imagem: Ag.USP]

Habitação para idosos

Um conceito de Núcleo-Base propõe um novo modelo de habitação para idosos que vivem em áreas centrais de grandes cidades.

Desenvolvido em uma pesquisa na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, o conceito sugere construções habitacionais que supram a necessidade dessa faixa etária da população e melhorem suas condições de moradia.

Ao mesmo tempo, busca-se reinserir o idoso na sociedade por meio de sua integração ao grupo social ao seu redor.

Vila dos Anciãos

Segundo o estudo, duas características se destacam, atualmente, entre os idosos.

A primeira se refere a uma tendência de morarem sozinhos, principalmente os de baixa renda, que muitas vezes acabam morando em favelas ou cortiços sem condições próprias às suas necessidades.

A segunda diz respeito à opção dessa faixa da população por morar no centro da cidade.

"No centro os aluguéis costumam não ser tão caros. A concentração de serviços, como hospitais e locais mais baratos para comer, também facilita", explica a arquiteta Camila Mie Ujikawa, autora da tese Vila dos Anciãos: intervenção urbana em área degradada destinada à habitação e convívio de idosos.

O conceito de Núcleo-Base foi desenvolvido em função dessas duas características e consiste na construção de um núcleo com 12 unidades de habitação adaptadas às necessidades dos idosos e com capacidade para dois moradores.

A partir desse núcleo inicial, outros Núcleos-Bases podem se agregar até que comunidades maiores sejam formadas. "A ideia é que junto aos núcleos haja serviços de cultura e lazer ao idoso, bem como serviços de apoio para as necessidades do cotidiano, como auxílio para cozinhar, limpar a casa, lavar roupas, tomar remédios", aponta Camila.

Revitalização do centro

A pesquisa propõe a construção dos núcleos em áreas centrais de cidades.

Segundo Camila, essas áreas possuem muitos locais abandonados e em geral predominam o comércio e serviços. "Isso acarreta uma movimentação social menor, porque não existem muitas residências".

Assim, o Núcleo-Base é uma opção de revitalizar áreas degradadas do centro e ao mesmo tempo promover melhores condições de habitação na região.

Camila ressalta que é comum, em projetos de arquitetura cujo objetivo é a revitalização de áreas centrais, haver uma expulsão da população de baixa renda.

"As intervenções urbanas tendem a enobrecer a região e pela falta de condições financeiras de permanecer ali, as pessoas acabam deixando o local", declara a arquiteta, que completa: "Por meio do urbanismo, a expulsão não precisa ocorrer, pois pode haver integração."

Moradia para idosos

Uma residência onde moram pessoas de idade deve ter algumas adaptações para facilitar a rotina de seus moradores. O conceito desenvolvido pelo estudo da FAU sugere a construção de unidades habitacionais com corredores mais largos, banheiro maior e cozinha aberta, ou seja, integrada à sala.

"A ideia é a de o idoso necessitar da menor ajuda possível. Por isso, a cadeira de rodas foi muito considerada para que uma pessoa com mobilidade reduzida possa se locomover com mais facilidade."

O Núcleo-Base também visa melhorar as condições sociais desta população, não só porque os idosos passariam a conviver mais uns com os outros dentro de seu núcleo, mas porque o projeto leva em conta gostos, hábitos e necessidades.

"Foram analisados estes itens para que a partir de um Núcleo-Base, possam ser gerados diversos espaços e grupos sociais, de acordo com a população e a área em que será inserido", observa Camila.


Ver mais notícias sobre os temas:

Terceira Idade

Qualidade de Vida

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.