Diminui procura por vacina contra o vírus HPV

A procura pela segunda dose da vacina contra o papiloma vírus humano (HPV) em meninas de 11 a 13 anos diminuiu em relação à primeira fase da campanha, lançada em março deste ano.

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, apenas 15% do público-alvo procurou pela segunda dose. No mesmo período de vacinação da primeira fase esse índice foi de 59,9%.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, este é um problema que está ocorrendo em âmbito nacional, e não somente no Rio de Janeiro.

Para a Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde do Rio, a diminuição na procura pode ter ocorrido a partir das notícias sobre reações adversas que a vacina causaria, com internações de várias meninas após a aplicação da vacina HPV.

Os sintomas das meninas internadas incluíram paralisia das pernas, falta de sensibilidade nos membros e dores de cabeça.

Já foram documentadas reações similares em outros países onde a vacina está sendo aplicada.

Antes do início da campanha, especialistas contestaram a estratégia agressiva do Ministério da Saúde, levando a vacinação até as escolas para cobertura de uma faixa etária muito jovem para uma doença que é sexualmente transmissível:


Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Saúde da Mulher

Vírus

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.