Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

26/02/2014

O dinheiro corrompe, mas o tempo salva

Com informações do Jornal da Unicamp
O dinheiro corrompe, mas o tempo salva
Outros estudos já haviam mostrado que respeito importa mais do que dinheiro.[Imagem: Wikimedia]

Pensar em dinheiro aumenta a tendência das pessoas a se comportar de modo desonesto.

Por outro lado, pensar em tempo tem o efeito oposto.

A conclusão está em um artigo publicado no jornal científico Psychological Science.

Os autores submeteram centenas de voluntários a quatro experimentos envolvendo tarefas como resolver enigmas de palavras com letras misturadas.

As tarefas foram criadas para induzir os voluntários a pensar em "tempo", "dinheiro", ou em nada em particular.

Ao final das tarefas, os voluntários tinham de declarar quantos problemas haviam sido capazes de resolver.

Resultado: os participantes que tinham sido levados a pensar em dinheiro mentiram, citando um número maior de soluções que o real, muito mais do que os que haviam sido induzidos a pensar em tempo, e que os que tinham realizado as tarefas neutras.

Já pensar em tempo fez com que as pessoas trapaceassem menos do que os colegas que tinham pensado em dinheiro e até dos que haviam recebido os problemas neutros.

Os autores do estudo - das universidades de Harvard e da Pensilvânia - concluíram que pensar no conceito de tempo leva o indivíduo a refletir sobre sua vida, seu caráter e a imagem que tem de si mesmo, o que põe as questões éticas em perspectiva.

Já pensar em dinheiro parece levantar algum tipo de comportamento do tipo "vale tudo".


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Comportamento

Felicidade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?