Dormir mal durante a Lua Cheia não é mais um mito

Dormir mal durante a Lua Cheia não é mais um mito
Os ciclos lunares e o comportamento do sono humano estão realmente conectados.
[Imagem: NASA]

Muitas pessoas queixam-se da falta de sono na época da Lua Cheia.

Como não têm nenhuma teoria para explicar o fato, os cientistas costumam dizer que isso é "mito", ou simplesmente "impressão".

Afinal, o que não está no manual dos cientistas não existe, certo?

Errado, como acaba de demonstrar o professor Christian Cajochen e seus colegas da Universidade de Basel, na Suíça.

Ciclos lunares e o sono

O grupo conseguiu documentar evidências de que os ciclos lunares e o comportamento do sono humano estão realmente conectados.

Cajochen e seus colegas analisaram cuidadosamente, em laboratório, o sono de 30 voluntários, divididos em dois grupos etários.

Enquanto os voluntários dormiam, os cientistas monitoraram seus padrões cerebrais, movimentos oculares e mediram suas secreções hormonais.

Os resultados sugerem que, apesar dos confortos da vida moderna, os seres humanos ainda respondemos aos ritmos geofísicos da lua, qualquer que seja sua idade.

Sinais fisiológicos e subjetivos

Os dados mostram que tanto a percepção subjetiva quanto a percepção objetiva da qualidade do sono são alteradas com os ciclos lunares.

No período da Lua Cheia, a atividade cerebral em áreas relacionadas ao sono profundo diminui em 30%.

As pessoas também levam, em média, cinco minutos a mais para adormecer, e dormem 20 minutos menos.

E elas apresentaram níveis mais baixos de melatonina, um hormônio que regula os ciclos de sono e vigília.

No lado subjetivo, os voluntários afirmaram ter um sono pior durante os dias de Lua Cheia - eles não sabiam que o experimento tinha a ver com os ciclos lunares, e a Lua não foi citada em nenhum momento durante o estudo.

"Esta é a primeira evidência confiável de que o ritmo lunar pode modular a estrutura do sono nos seres humanos," concluiu Cajochen.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sono

Qualidade de Vida

Sentimentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.