Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

06/04/2012

Substância faz emagrecer alterando relógio biológico

Redação do Diário da Saúde
Substância faz emagrecer alterando relógio biológico
Os ritmos circadianos resultam em processos psicológicos que respondem aos ciclos de luz e escuridão, embora o relógio biológico não seja a única rota para a influência da luz sobre a saúde. [Imagem: Wikimedia]

Obesidade e sono

Cientistas do Instituto de Pesquisas Scripps (EUA) sintetizaram duas moléculas que alteraram radicalmente o relógio biológico em experimentos com animais.

Segundo os cientistas, os resultados destacam que os novos fármacos mostraram elevado potencial para tratar uma série de condições, entre elas o sobrepeso e a obesidade.

Mas não apenas isso: entre os possíveis beneficiados com uma eventual droga baseada nesse princípio estão pacientes com diabetes, colesterol alto e problemas sérios de sono.

O estudo está publicado no exemplar desta semana da revista Nature.

Ritmos circadianos

O composto agora descoberto altera o ritmo circadiano, o relógio biológico do organismo.

Também é alterado o padrão de expressão genética no hipotálamo, a região do cérebro que contém o principal relógio celular do corpo, que sincroniza os ritmos diários do organismo dos mamíferos.

Os ritmos circadianos resultam em processos psicológicos que respondem aos ciclos de luz e escuridão, embora o relógio biológico não seja a única rota para a influência da luz sobre a saúde.

Quando foram administrados a camundongos tornados obesos por uma dieta rica em gordura, os compostos reduziram a obesidade ao diminuir a massa gorda e melhorar muito o nível do colesterol e os níveis de glicemia.

"A ideia por trás desta pesquisa é que nossos ritmos circadianos estão acoplados com processos metabólicos, e que você pode modulá-los farmacologicamente," disse Thomas Burris, que liderou o estudo.

"Como se demonstrou, o efeito desta modulação é surpreendentemente positivo, tudo tem sido benéfico até agora," comemora ele.

Serve para seres humanos?

A equipe identificou e testou dois compostos sintéticos que ativam as proteínas REV-ERBα and REV-ERBα, que regulam genes que controlam os ritmos biológicos.

Os efeitos metabólicos foram observados depois de 12 dias de aplicação - os animais perderam peso sem nenhuma alteração em sua dieta, nem de qualidade e nem de quantidade.

Em um dos experimentos, a produção de colesterol nos animais reduziu-se em 47%.

A descoberta do fármaco, o princípio ativo que poderá vir a se tornar uma droga, é o primeiro passo no desenvolvimento de um medicamento, o que só acontece depois de avaliações de toxicidade, efeitos colaterais e, finalmente, a aplicabilidade dos resultados aos seres humanos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Desenvolvimento de Medicamentos

Obesidade

Dietas e Emagrecimento

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão