Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

09/07/2012

Meditação: escolha da técnica é essencial para usufruir dos benefícios

Redação do Diário da Saúde
Meditação: escolha da técnica é essencial para usufruir dos benefícios
Enquanto nos países orientais há um verdadeiro apoio cultural à meditação, cujos benefícios são conhecidos há milênios por lá, o mesmo não ocorre no ocidente.[Imagem: Wikimedia/Tevaprapas Makklay]

Incentivos à meditação

Uma série de pesquisas tem demonstrado os inúmeros benefícios da meditação.

Mas o acompanhamento dos voluntários tem demonstrado que poucos conseguem permanecer na prática depois do fim dos estudos.

Enquanto nos países orientais há um verdadeiro apoio cultural à meditação, cujos benefícios são conhecidos há milênios por lá, o mesmo não ocorre no ocidente.

Assim, dependentes unicamente dos próprios esforços, logo que se deparam com as primeiras dificuldades os praticantes iniciantes tendem a abandonar a prática.

Mas o Dr. Adam Burke, da Universidade Estadual de São Francisco (EUA), afirma que há como contornar essas dificuldades e usufruir dos benefícios de longo prazo da meditação.

Escolha da técnica de meditação

Segundo o estudo, publicado no Journal of Science and Healing, é necessário saber escolher a técnica de meditação.

Não há uma única forma de fazer meditação, há inúmeras técnicas.

E, segundo o Dr. Burke, a maioria dos usuários que abandona a prática simplesmente tentou uma técnica que não tinha muito a ver com seu próprio estilo.

Assim, a regra deve ser, segundo o pesquisador: não escolha a técnica mais popular; escolha a técnica de meditação com a qual você se sinta mais confortável.

Técnicas de meditação

O pesquisador comparou quatro métodos populares de meditação - Mantra, Mente Alerta, Zen e Qigong - para avaliar os benefícios clínicos e gerais de cada uma das técnicas, segundo as preferências de cada participante.

Os resultados mostraram que as preferências dos praticantes variam bastante:

  • Mantra - 31%
  • Mente Alerta - 31%
  • Zen - 22%
  • Qigong - 14,8%

A importância das preferências pode ser vista no fato de que a maioria se dividiu entre duas técnicas de meditação muito diferentes: enquanto a técnica dos mantras induz o praticante a ocupar-se continuamente de uma mesma ideia, ou frase, ou palavra, a técnica da Mente Alerta tenta evitar que a pessoa pense em qualquer coisa.

O maior importante, contudo, é que o estudo demonstrou que nenhuma técnica pode ser considerada a melhor para todos.

Assim, se você não está se dando bem com a técnica que lhe sugeriram, não abandone a meditação, procure uma técnica que lhe faça sentir mais confortável, recomenda o pesquisador.


Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Mente

Espiritualidade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento