Fármaco de erva asiática é eficaz contra ebola

Tetrandrina

Uma molécula derivada de uma erva asiática revelou-se eficaz contra a infecção de ratos com o vírus do ebola, abrindo portas para um possível tratamento em humanos, revela investigação publicada na revista Science.

Cientistas do Instituto de Pesquisa Biomédica do Texas, nos Estados Unidos, descobriram que a tetrandrina, uma molécula de origem vegetal, em pequenas doses, protege ratos da infecção, sem efeitos secundários sérios.

A tetrandrina é um bloqueador de canais de cálcio, e foi isolada da planta Stephania tetrandra e outras ervas nativas do Japão e da China. Hoje a molécula já é produzida de forma sintética.

"Quando testamos esta molécula em ratos, ela impediu a reprodução do vírus e permitiu salvar a maior parte deles do ebola," explicou um dos autores do estudo, Rovert Davey.

O próximo passo dos pesquisadores será testar a inocuidade e a eficácia da molécula contra o ebola em primatas (macacos), o primeiro passo para os testes em humanos.

Canais de cálcio

Os autores do estudo determinaram que o mecanismo que permite às células transmitirem cargas elétricas, no qual os detectores de cálcio desempenham um papel-chave, é importante na infecção do ebola.

Eles descobriram que dois detectores de cálcio são particularmente importantes para que o vírus penetre nas células para se multiplicar e testaram diversas moléculas, incluindo a tetrandrina, para determinar qual seria mais eficaz para neutralizar os detectores.

De acordo com o mais recente balanço da Organização Mundial da Saúde, o novo surto de ebola fez 9.177 mortos desde o início de 2014, a maior parte na Libéria, na Serra Leoa e na Guiné-Conacri.


Ver mais notícias sobre os temas:

Desenvolvimento de Medicamentos

Plantas Medicinais

Medicamentos Naturais

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.