Fisiculturistas usam suplementação alimentar indevidamente

Fisiculturistas usam suplementação alimentar indevidamente
Alguns fisiculturistas que já adquiriram tamanho chegam a consumir até 9 mil calorias por dia para manter a forma e aumentar o volume muscular.
[Imagem: Fiocruz]

Artifício químico

Em artigo publicado na revista História, Ciências, Saúde - Manguinhos da Fiocruz, pesquisadores da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) avaliaram os hábitos alimentares de fisiculturistas, ou seja, indivíduos muscularmente hipertrofiados, com anos de práticas de levantamento de pesos e musculação e que, comumente, participam de competições de bodybuilding (fisiculturismo).

O estudo apresenta o resultado de três anos de pesquisa em 12 academias de musculação das zonas Norte e Sul da cidade do Rio de Janeiro.

"Alimentar-se, para o grupo, significa articular um sistema de saberes ligados à ciência da nutrição visando administrar a forma física e o desempenho atlético", afirmam os pesquisadores. "O alimento torna-se, assim, poderoso artifício químico para o aprimoramento estético do corpo".

Segundo os pesquisadores, é importante observar, no sistema alimentar classificatório do bodybuilder, relevância dada a alimentos "brancos" e positivos, considerados ricos em proteínas e carboidratos, como o peito de frango, peixe, macarrão sem molho ou sal, batata, banana e clara de ovo.

"Eles são consumidos em quantidade significativa pelos praticantes da musculação intensa, e não raro são associados a suplementos alimentares que se entende serem portadores das mesmas substâncias e capazes de 'fazer crescer'", comentam os estudiosos.

Suplementos alimentares

Esta indicação de dieta, de acordo com os pesquisadores, costuma ser acompanhada do uso de suplementos alimentares.

"A indústria dos suplementos alimentares criou equivalentes suplementares em pó ou em pílulas - não raro, insípidos - de alimentos. Entre os mais usados estavam, na época do nosso trabalho de campo, a creatina e a albumina, vendidas pelas indústrias nutricionais em lojas especializadas. A venda da creatina está atualmente proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sob alegação de causar disfunções renais em seus usuários", explicam os pesquisadores. "Embora o suplemento exista, conforme o próprio nome diz, para amparar a alimentação, sendo, portanto, secundário nesse processo, a importância que ele apresenta para alguns informantes é equivalente ao alimento".

Os pesquisadores ainda elucidam que os produtos para suplementação, comprimidos e farelos vitamínicos, são, em geral, batidos com leite desnatado ou apenas adicionados à água, para aumentar massa muscular e deixá-la mais aparente ou definida.

"As taxas de adiposidade chegam a se estabilizar entre 2% e 5%, contra 18% de uma pessoa comum do sexo masculino", afirmam os estudiosos. "Para que isso aconteça é necessário também dedicação e assiduidade nos exercícios, que envolvem longas e pesadas séries com peso associadas à ginástica aeróbia ou spinning (simulação de corrida ou competição de ciclismo, também denominada bike indoor, nas academias)".

Sete quilos de músculos

Além disso, para trabalhar o aumento de massa muscular, os fisiculturistas chegam a fazer agachamentos - exercícios de abaixar e levantar com pesos nos ombros - com até 300kg. "Com um braço chegam a fazer quarenta repetições com pesos de 45kg. Todo esse esforço, aliado ao consumo frequente de esteroides anabolizantes, permite a esses homens adquirir até sete quilos de músculos ao fim de um mês", dizem os pesquisadores.

Alguns fisiculturistas que já adquiriram tamanho chegam a consumir até 9 mil calorias por dia para manter a forma e aumentar o volume muscular. Porém, eles reduzem a alimentação a quase nada quando necessitam emagrecer.

"Em 'fase de crescimento' realizam, de duas em duas horas, refeições que chegam a somar uma dúzia de clara de ovos e mais de um quilo e meio de carne por dia, além de carboidratos", destacam os pesquisadores. "Alguns dias antes dos campeonatos deixam de comer sal e tomam laxantes e diuréticos, com o objetivo de reduzir a quantidade de água no tecido subcutâneo para que a musculatura seja ressaltada. Presenciamos algumas vezes, durante esse período de treino, praticantes sofrendo vertigens, câimbras ou desmaios".


Ver mais notícias sobre os temas:

Atividades Físicas

Alimentação e Nutrição

Vitaminas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.