Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

07/06/2012

Gonorreia intratável pode se espalhar pelo mundo, diz OMS

Redação do Diário da Saúde

Supergonorreia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um alerta sobre uma variante da bactéria que causa a gonorreia e que não responde ao tratamento disponível.

Segundo a OMS, milhões de pessoas com a doença venérea podem estar sob risco de ficarem sem tratamento.

A resistência da gonorreia ao antibiótico cefalosporina já foi registrada em vários países, incluindo Austrália, França, Japão, Noruega, Suécia e Reino Unido.

A primeira infecção com a nova variante da Neisseria gonohhoeae, chamada H041, foi registrada no Japão em 2008:

A organização estima que 106 milhões de pessoas são infectadas todos os anos com a gonorreia, que é transmitida sexualmente.

Resistência da bactéria da gonorreia

"Os dados disponíveis mostram apenas a ponta do iceberg. Sem uma vigilância adequada, não saberemos o grau de resistência à gonorreia, e sem pesquisas de novos agentes antimicrobianos, em breve poderá não haver nenhum tratamento eficaz para os pacientes," afirmou Manjula Lusti-Narasimhan, responsável da OMS por saúde reprodutiva.

A Neisseria gonorrhoea já desenvolveu resistência a vários dos antibióticos mais comuns usados no tratamento, incluindo penicilina, tetraciclinas e quinolonas.

"Estamos muito preocupados com os relatos recentes de falhas no tratamento da última opção de tratamento eficaz - a classe de antibióticos cefalosporínicos -, já que não existem novas drogas terapêuticas em desenvolvimento," disse Lusti-Narasimhan. "Se as infecções gonocócicas tornarem-se intratáveis, as implicações para a saúde serão significativas."

Gonorreia

Uma infecção gonocócica não tratada pode causar problemas de saúde em homens, mulheres e recém-nascidos, incluindo:

  • infecção da uretra colo do útero e do reto;
  • infertilidade em homens e mulheres;
  • um risco significativamente maior de infecção e de transmissão do HIV;
  • gravidez ectópica, aborto espontâneo, natimortos e partos prematuros, e
  • infecções oculares graves ocorrem em 30-50% dos bebês nascidos de mulheres com gonorreia não tratada, o que pode levar à cegueira.


Ver mais notícias sobre os temas:

Bactérias

Infecções

Sexualidade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?