Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

28/01/2013

Se ioga fosse remédio, seria o melhor do mundo, dizem cientistas

Redação do Diário da Saúde
Se ioga fosse remédio, seria o melhor do mundo, dizem cientistas
A ioga é um prática profunda de transformação emocional e espiritual, produzindo benefícios que vão além das desordens psiquiátricas cobertas por este estudo - por exemplo, a ioga para grávidas também reforça laços com o bebê.[Imagem: University of Michigan Health System]

Melhor remédio do mundo

É crescente o número de estudos científicos que comprovam benefícios da ioga para condições as mais diversas.

Como geralmente são estudos bastante específicos, voltados para determinadas condições, faltava um resumão, que pudesse avaliar todos esses resultados, colocá-los na mesma base metodológica, e verificar para quais condições a ioga é realmente útil e eficaz.

Foi o que fizeram Meera Balasubramaniam e seus colegas da Universidade Duke (EUA).

As conclusões foram muito claras.

"Se os benefícios da ioga pudessem ser colocados em um remédio, ele se tornaria a droga mais vendida no mundo inteiro," resume Meera.

Ioga para a mente

Esta revisão das pesquisas científicas na área centrou-se unicamente nos benefícios da ioga para desordens psiquiátricas.

Os pesquisadores analisaram mais de 100 estudos, mas selecionaram apenas 16 deles, considerados de alta qualidade e com experimentos controlados seguindo as melhores práticas científicas.

O estudo mostrou que a ioga tem efeitos positivos, mesmo na falta de tratamentos com os remédios tradicionais, sobre a depressão, problemas de sono, esquizofrenia e hiperatividade (TDAH - Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, ou ADHD na sigla em inglês).

Foram confirmados benefícios da ioga para todas as doenças mentais incluídas na revisão, exceto para desordens alimentares, como bulimia e problemas cognitivos, cujos indícios se mostraram fracos ou conflitantes.

Prioridade global

Os cientistas deram destaque a estudos fisiológicos, nos quais foram acompanhados os chamados biomarcadores, mostrando que a ioga influencia elementos da biologia do corpo humano, gerando benefícios comparáveis aos da psicoterapia e dos antidepressivos - mas sem os efeitos colaterais destes últimos.

Segundo os cientistas, a prática da ioga afeta neurotransmissores, estresse oxidativo, inflamação, lipídios, fatores de crescimento e mensageiros secundários.

"A busca por melhores tratamentos, sobretudo aqueles não baseados em medicamentos, para atender às necessidades totais dos pacientes, é de importância extraordinária, e nós recomendamos que mais pesquisas sobre a ioga sejam consideradas uma prioridade global," concluem os autores.


Ver mais notícias sobre os temas:

Terapias Alternativas

Medicamentos Naturais

Plantas Medicinais

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nosso nível de sabedoria varia conforme a situação

Câncer pode ser mecanismo de defesa da vida

Democracia: como juntar liberdade de expressão, mídias sociais e verdade?

Garotos com empatia atraem mais amizades femininas

Cientistas recomendam não liberar dados sobre efeitos adversos de vacinas