Meditação Zen engrossa o cérebro e reduz sensibilidade à dor

Meditação Zen engrossa o cérebro e reduz sensibilidade à dor
A antiga disciplina oriental pode fortalecer a região central do cérebro que regula a dor, o chamado cingulado anterior.
[Imagem: Wikimedia]

Sensibilidade à dor

As pessoas podem reduzir a sua sensibilidade à dor induzindo um aumento na espessura do seu cérebro, segundo um novo estudo publicado em uma edição especial da revista Emotion.

O aumento da espessura do cérebro pode ser conseguido por meio da meditação Zen.

Cérebro mais espesso

Pesquisadores da Universidade de Montreal fizeram a descoberta comparando a espessura da massa cinzenta de praticantes e de não-praticantes da meditação Zen.

Eles encontraram evidências de que a antiga disciplina oriental pode fortalecer a região central do cérebro que regula a dor, o chamado cingulado anterior.

"Por meio do treinamento, a meditação Zen parece engrossar certas áreas do córtex e isso parece estar por trás da sua menor sensibilidade à dor," diz Joshua A. Grant, um dos autores do estudo. "Nós encontramos uma ligação entre a espessura cortical e a sensibilidade à dor, que apoia nossos estudos anteriores sobre a forma como a meditação Zen controla a dor."

Efeitos da meditação no cérebro

Os cientistas recrutaram 17 meditadores e 18 não-meditadores que sofriam de dores crônicas, doenças neurológicas ou psicológicas.

Grant e sua equipe mediram a sensibilidade à dor térmica por meio da aplicação de uma chapa aquecida na panturrilha dos participantes. A sensação física à dor foi detectada por meio de ressonância magnética estrutural (MRI) do cérebro dos participantes, enquanto eles entravam em contato com a placa.

Segundo os resultados de MRI, a região central do cérebro que regula a emoção e a dor são significativamente mais espessas em meditadores do que nos não-praticantes de meditação.

Meditação como terapia

"A postura muitas vezes dolorosa associada com a meditação Zen pode levar o córtex a se tornar mais espesso, diminuindo a sensibilidade à dor", diz Grant, observando que as práticas de meditação podem ser úteis para lidar com a dor, para prevenir a redução normal da matéria cinzenta que ocorre com o avanço da idade ou potencialmente para qualquer condição onde a matéria cinzenta está comprometida, como acidente vascular cerebral.

Outro estudo demonstrou que a meditação Zen amplia as habilidades visoespaciais dos praticantes.


Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Cérebro

Dores Crônicas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.