Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

07/06/2012

Microchip faz exame de HIV e leucemia

Redação do Diário da Saúde

Contagem de células

Um equipamento que hoje custa por volta de US$100.000 poderá logo ser substituído por um pequeno chip cujo sistema completo custará 100 vezes menos.

Cientistas demonstraram que um pequeno biochip é capaz de rastrear rapidamente células de leucemia ou HIV, fazendo uma contagem que pode definir o diagnóstico.

"O HIV é diagnosticado com base na contagem das células CD4," explica Tony Jun Huang, da Universidade da Pensilvânia (EUA). "Noventa por cento desses diagnósticos são feitos por citometria de fluxo."

Microchip faz exame de HIV e leucemia
Depois da aferição com os aparelhos atualmente certificados para os exames, os cientistas pretendem encontrar parceiros na indústria para fabricar o novo biochip. [Imagem: Tony Jun Huang/Penn State]

Citometria de fluxo

A citometria de fluxo usa raios laser para fazer três diferentes avaliações ópticas para cada célula, que devem ser postas para circular em canais, para que possam ser focadas pelo laser de forma tridimesional.

Huang e seus colegas construíram um dispositivo, que pode ser fabricado em escala industrial, capaz de concentrar toda as células em um único fluxo.

Eles acreditam que o biochip representa um passo importante para deixar o diagnóstico por citometria de fluxo ao alcance de hospitais e clínicas, e até mesmo na forma de aparelhos portáteis.

"Seu custo muito elevado, o enorme tamanho dos aparelhos, a complexidade mecânica e a necessidade de pessoal altamente treinado têm limitado a utilidade desta técnica," disse a equipe em seu artigo na revista Biomicrofluidics.

Fluxo bidimensional

Uma das razões pela qual os equipamentos atuais são tão grandes e caros é o método utilizado para canalizar as células e alinhá-las à frente dos lasers e múltiplos sensores necessários para identificá-las e contá-las.

Essa canalização controlada das células exige uma infinidade de lentes e espelhos, que exigem um delicado alinhamento óptico.

"Nosso biochip precisa apenas de um fluxo bidimensional de células, uma única camada, e não depende de nenhum alinhamento óptico," disse Huang.

Depois da aferição com os aparelhos atualmente certificados para os exames, os cientistas pretendem encontrar parceiros na indústria para fabricar o novo biochip.


Ver mais notícias sobre os temas:

Biochips

Exames

Equipamentos Médicos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão