Descoberto o MicroDNA, uma nova entidade genética

MicroDNA: descoberta uma nova entidade do DNA
A formação deste microDNA conduz frequentemente a deleções em células somáticas e em células ligadas à reprodução.
[Imagem: Shibata et al./Science]

microDNA

Cientistas identificaram uma nova forma de DNA, largamente presente em organismos multicelulares, inclusive no homem.

Trata-se de um tipo até agora desconhecido de DNA circular extracromossômico, já batizado de microDNA.

A equipe de Yoshiyuki Shibata, da Universidade da Virgínia (EUA), descobriu esta nova entidade de DNA em tecidos de camundongos e em linhagens de células humanas cultivadas em laboratório.

A descoberta foi publicada nesta quinta-feira na revista Science.

DNA mais curto

O microDNA possui de 200 a 400 pares de bases de comprimento.

Isto o torna mais curto do que a maioria dos tipos já conhecidos de DNAs circulares extracromossômicos, ou eccDNA (extra-chromosomal circular DNA).

Os eccDNA, ou plasmídeos, são moléculas circulares de DNA independentes e capazes de se reproduzir independentemente do DNA cromossômico, o DNA "principal".

O recém-descoberto microDNA pertence a esse grupo.

Controle de genes

O microDNA parece ser derivado de sequências genômicas únicas e não repetitivas, que são muito frequentemente localizadas nas regiões associadas com genes específicos.

A maioria dos eccDNA, por outro lado, surge a partir de sequências genéticas repetitivas, elementos genéticos transponíveis ou genomas virais, segundo os pesquisadores.

Esta nova forma de eccDNA também parece vir de regiões do DNA ligadas aos nucleossomos, um conjunto formado por duas espirais de DNA enroladas em torno de uma proteína - a unidade fundamental da cromatina.

Experimentos de laboratório revelaram que a formação deste microDNA conduz frequentemente a deleções em células somáticas e em células ligadas à reprodução.


Ver mais notícias sobre os temas:

Genética

Sexualidade

Vacinas

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.