Nanopartículas de ouro transportam medicamentos para tratar o câncer

Nanopartículas de ouro transportam medicamentos para tratar o câncer
As nanopartículas de ouro carregam fitas de DNA e sua estrutura pode agregar até quatro moléculas diferentes.
[Imagem: Kimberly Hamad-Schifferli]

Drogas inteligentes

Usando nanopartículas de ouro e luz infravermelha, pesquisadores do MIT desenvolveram um novo sistema de transporte de medicamentos no interior do corpo humano que permite que múltiplas drogas sejam liberadas no local adequado e de forma controlada no tempo.

O sistema, conhecido como drug delivery (um termo que em português se convencionou traduzir por drogas inteligentes), no futuro poderá ser utilizado para dar maior controle na aplicação de quimioterapias no tratamento de diversos tipos de cânceres, que são normalmente tratados com um conjunto de medicamentos.

"Em várias doenças, especialmente no caso do câncer e da AIDS, você tem um efeito sinergístico usando mais do que um medicamento," explica a Dra. Kimberly Hamad-Schifferli, coordenadora da pesquisa, que foi publicada na revista científica ACS Nano.

Medicamentos na hora certa

Já existem sistemas de drogas inteligentes capazes de liberar dois medicamentos, mas o horário da liberação do medicamento deve ser programado no próprio medicamento, o que significa que ele não pode ser controlado de fora do corpo do paciente.

O novo sistema é controlado externamente e teoricamente pode carregar três ou quatro medicamentos diferentes.

A nova técnica tira vantagem do fato de que as nanopartículas de ouro fundem-se quando expostas à luz infravermelha, liberando as drogas contidas em seu interior.

Nanopartículas de diferentes formatos respondem de forma diferente a diversos comprimentos de onda da luz infravermelha. Desta forma, é possível determinar o horário da liberação do medicamento simplesmente variando o comprimento de onda da luz infravermelha aplicada. A mesma técnica permite a liberação coordenada de cada um dos medicamentos contidos nas nanopartículas.

Os pesquisadores construíram dois tipos de nanopartículas, que eles chamaram de "nano-ossos" e nanocápsulas. Os nano-ossos fundem-se com raios de luz com comprimento de onda de 1.100 nanômetros, enquanto as nanocápsulas fazem o seu trabalho quando atingidas por luz com comprimento de onda de 800 nanômetros.

Cada nanopartícula carrega centenas de fitas de DNA, podendo também serem fabricadas para transportar outros tipos de moléculas.


Ver mais notícias sobre os temas:

Drogas Inteligentes

Quimioterapia

Nanotecnologia

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.