Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

09/07/2015

Surge nova esperança contra a psoríase

Redação do Diário da Saúde

Um teste de uma nova droga para tratar a psoríase resultou na eliminação completa das placas típicas da doença em 40% dos voluntários tratados durante 12 semanas.

No geral, apenas 10% dos voluntários não apresentaram qualquer melhoria com o novo medicamento.

Menos coceira

O teste incluiu 2.500 pacientes com a condição. Metade recebeu a nova droga - ixekizumab - uma vez a cada duas ou quatro semanas. A outra metade recebeu um placebo ou um fármaco amplamente utilizado para a psoríase, chamado etanercept.

Os grupos que tomaram o ixekizumab apresentaram melhorias extensas, superando os grupos tratados com placebo ou etanercept. Cerca de metade desses pacientes apresentou melhora já a partir de quatro semanas, e até 71% mostraram um alto nível de melhoria.

"O que nós vimos neste ensaio não foram apenas os aspectos físicos da doença desaparecendo, mas também as pessoas que tomaram a nova droga relatando uma melhoria significativa na sua qualidade de vida na medida em que se sentiam mais confiantes e sofriam menos de coceira - muito mais do que nos outros dois grupos," disse Chris Griffiths, da Universidade de Manchester (Inglaterra).

Ixekizumab

O ixekizumab é um anticorpo monoclonal - um anticorpo clonado - que neutraliza os efeitos inflamatórios de uma interleucina (IL), uma proteína da pele que leva sinais para as células - conhecida como IL-17.

Há crescente concordância entre os cientistas de essa proteína é uma das causas das placas escamosas avermelhadas características da psoríase.


Ver mais notícias sobre os temas:

Desenvolvimento de Medicamentos

Cuidados com a Pele

Tratamentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão