Obesos procuram mais os médicos do que os fumantes

Queixas menores

Pessoas obesas fazem visitas mais frequentes aos clínicos-gerais do que fumantes ou aqueles que estão fora de forma em geral, segundo uma pesquisa feita por cientistas holandeses.

Segundo os pesquisadores, o resultado do estudo não tem relação com o maior risco de doenças crônicas, como diabetes, entre as pessoas obesas.

A pesquisa não encontra uma resposta clara para o fato de os obesos procurarem mais os médicos, mas os cientistas sugerem que eles podem ter mais queixas menores sobre sua saúde, como problemas de sono ou dores musculares.

A pesquisa da Universidade de Maastricht analisou dados médicos de cerca de 4.500 adultos.

Os participantes também responderam a um questionário sobre seus estilos de vida, para analisar suas dietas, se fumavam, o quanto bebiam e quanto exercício físico faziam.

Percepção da própria saúde

Os pesquisadores disseram que esperavam confirmar que as pessoas com menos saúde ou mais fora de forma procurassem mais seus médicos.

Mas de todos os fatores analisados, apenas o índice de massa corporal (IMC, que mede a relação entre peso e altura) era associado com visitas frequentes ao médico independentemente de outros fatores.

Os resultados se aplicam tanto a homens quanto a mulheres.

Segundo a coordenadora do estudo, Marjan van der Akker, novas pesquisas são necessárias para determinar as razões exatas da relação verificada pelo estudo.

Ela adverte ainda que o aumento no número de pessoas obesas em todo o mundo deve provocar uma pressão na demanda por clínicos-gerais e afirma que outras formas de atender essa demanda devem ser analisadas.


Ver mais notícias sobre os temas:

Obesidade

Tabagismo

Saúde Pública

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.