OMS reconhece que vírus H7N9 é um dos mais letais do mundo

O especialista Keiji Fukuda, da Organização Mundial da Saúde (OMS), afirmou que o vírus H7N9, identificado pelas autoridades da China, é um dos mais letais do mundo.

"Este é definitivamente um dos vírus da gripe mais letais que já vimos até agora," disse Fukuda. "Quando pensamos em vírus da gripe, este é um vírus extraordinariamente perigoso".

A China confirmou 108 casos e 22 mortes desde as primeiras infecções, em 31 de março.

Contudo, nesta quarta-feira surgiu o primeiro caso de infecção pelo vírus da nova gripe aviária fora da China.

Um homem de 53 anos tornou-se o primeiro caso de infecção pelo vírus H7N9 fora da China continental. Segundo as autoridades de saúde taiwanesas, o homem está em estado grave, depois de ter retornado de uma viagem à cidade chinesa de Suzhou.

Aumentando as suspeitas de que possa haver transmissão entre humanos do vírus H7N9, as autoridades confirmaram que o homem não teve contato com aves e não ingeriu carne mal cozida de aves durante sua viagem.

Fukuda acrescentou que o vírus H7N9 é facilmente transmissível.

"Acreditamos que esse vírus é mais transmissível a pessoas do que o H5N1", disse ele, lembrando que o vírus H5N1 matou mais de 360 pessoas no mundo, desde 2003.

Vigilância brasileira

No Brasil, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse que o Ministério está vigilante em relação aos casos registrados na China do H7N9.

O ministro ressaltou ainda que, até o momento, não há recomendação, por parte da Organização Mundial da Saúde (OMS), de restrição comercial com a China.

O que permanece, segundo ele, são medidas restritivas adotadas, desde 2006, nos portos brasileiros em relação à entrada de aves vivas provenientes daquele país.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vírus

Epidemias

Infecções

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.