Parkinson pode ir do intestino ao cérebro pelo nervo vago

Parkinson pode ir do intestino ao cérebro pelo nervo vago
Outra via de ligação entre intestinos e Parkinson é que bactérias do intestino ativam a microglia (células imunológicas do cérebro, mostradas em verde), gerando uma neuroinflamação que é característica da doença de Parkinson.
[Imagem: S. Mazmanian Lab/Caltech]

Vagotomia

Começam a ser confirmados os primeiros mecanismos responsáveis pela conexão entre o Mal de Parkinson e os intestinos.

Após uma série de indícios iniciais, novos dados reforçam que a doença de Parkinson pode começar no intestino e se espalhar para o cérebro - e os primeiros resultados indicam que essa "migração" se dá através do nervo vago.

O nervo vago estende-se do tronco encefálico até o abdômen e controla os processos inconscientes do corpo, como a frequência cardíaca e a digestão dos alimentos.

Para tentar rastrear a conexão entre intestinos e Parkinson, Bojing Liu e seus colegas do Instituto Karolinska (Suécia) examinaram pacientes que haviam passado por cirurgias de ressecção, que removem o tronco principal ou ramos do nervo vago.

Essa cirurgia, chamada vagotomia, é usada para pessoas com úlceras. Em uma vagotomia truncal, o tronco nervoso é completamente retirado; em uma vagotomia seletiva, são retirados apenas alguns ramos do nervo.

Vagotomia reduz risco de Parkinson

Os pesquisadores usaram registros nacionais da Suécia para comparar 9.430 pessoas que tiveram uma vagotomia, durante um período de 40 anos, com 377.200 pessoas da população em geral.

Durante esse tempo, 101 pessoas que tiveram uma vagotomia desenvolveram a doença de Parkinson, ou 1,07%, em comparação com 4.829 pessoas no grupo de controle, ou 1,28% - uma diferença que não é estatisticamente significativa.

Contudo, quando os pesquisadores analisaram os resultados para os dois tipos diferentes de vagotomia, eles constataram que as pessoas que tiveram uma vagotomia truncal pelo menos cinco anos antes eram menos propensas a desenvolver doença de Parkinson do que aquelas que não tinham a cirurgia e tinham sido acompanhadas por pelo menos cinco anos.

Parkinson pode ir do intestino ao cérebro pelo nervo vago
Já se sabe também que o intestino tem um escudo de proteção contra Parkinson.
[Imagem: Veena Prahlad/University of Iowa]

Após o ajuste para fatores como doença pulmonar obstrutiva crônica, diabetes, artrite e outras condições, os pesquisadores verificaram que as pessoas que tiveram uma vagotomia truncal nos cinco anos anteriores eram 40% menos propensas a desenvolver a doença de Parkinson do que aquelas que não tinham a cirurgia.

Parkinson e intestinos

"Estes resultados fornecem evidências preliminares de que a doença de Parkinson pode começar no intestino," disse Liu. "Outra evidência para esta hipótese é que as pessoas com doença de Parkinson muitas vezes têm problemas gastrointestinais, como constipação, que podem começar décadas antes do desenvolvimento da doença. Além disso, outros estudos têm demonstrado que as pessoas que mais tarde desenvolverão a doença de Parkinson têm em seu intestino uma proteína que se acredita desempenhar um papel fundamental na doença de Parkinson".

A teoria é que essas proteínas podem dobrar-se de forma incorreta e espalhar esse erro de célula para célula.

"Muito mais pesquisas serão necessárias para testar esta teoria e para nos ajudar a entender o papel que isso pode desempenhar no desenvolvimento do Parkinson," disse Liu. Além disso, como a doença de Parkinson é uma síndrome, pode haver múltiplas causas e vias de desenvolvimento.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Sistema Nervoso

Memória

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.