Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

15/03/2016

Placenta artificial estudará infecções que passam da mãe para o bebê

Redação do Diário da Saúde

Barreira placentária

Uma espécie de "placenta artificial" montada em laboratório com ajuda de uma tecnologia desenvolvida pela NASA promete ajudar a explicar como patógenos passam da mãe para o feto.

"A placenta humana é única e diferente dos muitos outros mamíferos placentários," explica a professora Carolyn Coyne, da Universidade de Pittsburgh (EUA).

"Com o nosso novo modelo no kit de ferramentas de pesquisa, nós e outros cientistas esperamos avançar no conhecimento da placenta, examinar a sua função e aprender como ela pode prevenir a maioria, se não todas, as infecções maternas que causam problemas para o bebê," acrescentou.

A equipe está estreando o modelo de placenta humana para testar se o vírus zika e outros patógenos associados com doenças congênitas podem infectar células da placenta ou atravessar a barreira placentária.

Placenta artificial estudará infecções que passam da mãe para o bebê
Modelo da placenta humana: com a ajuda de uma câmara de microgravidade da NASA, cientistas desenvolveram um modelo 3D da placenta para estudar como os agentes infecciosos podem atravessar da mãe para o feto. [Imagem: Coyne Lab/University of Pittsburgh]

Placenta artificial

Para criar o modelo de tecido, a equipe cultivou uma linhagem de células trofoblásticas da placenta humana em um biorreator de microgravidade.

Os trofoblastos, juntamente com células dos vasos sanguíneos, foram adicionados a pequenas gotas de dextrano, que foram então aspergidas em um recipiente contendo o fluido de cultura celular, criando forças de tensão e cisalhamento que imitam o ambiente na interface materno-fetal.

Para isso, em vez das culturas estáticas normalmente feitas em laboratório, as células foram aspergidas dentro de um reator desenvolvido para pesquisas da NASA, onde é simulada a condição de microgravidade do espaço.

Como resultado, as células se fundiram para formar sinciciotrofoblastos, imitando as células primárias que revestem a camada exterior da estrutura parecida com uma árvore - vilosidades - do tecido placentário humano.

Infecções materno-infantis

Além de ajudar a estudar o vírus zika, a equipe espera que seu modelo ajude a compreender melhor a estrutura e o funcionamento da placenta, ajudando a prevenir danos ao feto gerados por infecções como toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus, herpes e HIV.


Ver mais notícias sobre os temas:

Gravidez

Infecções

Saúde da Mulher

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?