Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

13/01/2015

Poluição fina durante gravidez aumenta risco de autismo

Redação do Diário da Saúde
Poluição fina durante gravidez aumenta risco de autismo
A exposição às partículas PM2,5 durante o terceiro trimestre da gravidez foi mais especificamente associada com um risco aumentado de ter um filho com autismo.[Imagem: Harvard School of Public Health]

Autismo e poluição

Mulheres expostas a altos níveis de poluição muito fina durante a gravidez - especialmente durante o terceiro trimestre da gravidez - têm risco até duas vezes maior de ter uma criança com autismo do que as mães que vivem em áreas sem esse material particulado fino.

A conclusão é de um estudo realizado por médicos da Universidade de Harvard (EUA), que constataram ainda que, quanto maior a exposição à poluição fina, maior o risco de ter um filho autista.

"Nossos dados dão um suporte adicional importante à hipótese de que a exposição materna à poluição do ar contribui para o risco de transtornos do espectro autista," resume o Dr. Marc Weisskopf, coordenador do estudo. "A especificidade dos nossos resultados para o período de gravidez, e para o terceiro trimestre em particular, exclui muitas outras possíveis explicações para estes resultados."

Estudos anteriores já vêm sugerindo há algum tempo que a exposição a contaminantes ambientais no ar, especialmente durante a gravidez e o início da vida do bebê, podem afetar o risco de autismo.

Este estudo incidiu especificamente sobre o período da gravidez.

Material particulado fino

Os pesquisadores coletaram dados sobre onde as participantes viviam durante a gravidez, bem como dados sobre os níveis de poluição do ar, com detalhamentos sobre as dimensões do material particulado disperso na poluição de cada local.

A exposição a partículas finas do tipo PM2,5 - partículas de 2,5 micrômetros de diâmetro ou menores - durante a gravidez foi significativamente associada com o autismo, mas não foi encontrada relação com a exposição ao mesmo material antes ou depois da gravidez.

A exposição às partículas PM2,5 durante o terceiro trimestre da gravidez foi mais especificamente associada com um risco aumentado de ter um filho com autismo.

Os dados não mostraram uma associação significativa entre a poluição do ar com partículas de tamanho maior (PM10-2,5) e o autismo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Poluição

Gravidez

Sistema Respiratório

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão