Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

25/07/2016

Romã melhora musculatura e aumenta longevidade

Redação do Diário da Saúde
Romã melhora musculatura e aumenta longevidade
Já se sabia que a romã pode frear a metástase do câncer de próstata e que seus antioxidantes protegem contra doenças degenerativas. [Imagem: EPFL/Alain Herzog]

Urolitina

A equipe do professor Johan Auwerx, da Escola Politécnica Federal de Lausane (Suíça), se propôs a investigar se a fama da romã de ser tão benéfica para a saúde tem base real - e, se tiver, como ela libera seus benefícios.

No processo eles chegaram à urolitina A (UA), um subproduto químico produzido por nosso organismo quando consumimos suco de romã, morango ou nozes.

E quando eles ministraram a substância pura a animais de laboratório, o efeito foi surpreendente.

Os vermes Caenorhabiditis elegans - modelos preferidos pelos cientistas para estudar o envelhecimento e a longevidade - que receberam urolitina junto com a alimentação viveram uma média de 45% mais tempo. Em uma comparação direta com um ser humano que tivesse uma expectativa de vida de 90 anos, isso equivaleria a fazê-lo viver por 130 anos.

Já os camundongos idosos que ingeriram a urolitina A passaram a correr 42% a mais. E esta melhoria ocorreu sem que eles tivessem qualquer ganho de massa muscular, o que sugere que a urolitina melhora a qualidade das células musculares já existentes, em vez de sua quantidade.

Mitocôndrias novas

Quando a equipe foi mais a fundo nos efeitos, eles descobriram que a urolitina parece melhorar o rendimento das células musculares fazendo-as eliminar as mitocôndrias danificadas - as mitocôndrias são consideradas as usinas geradoras de energias das células.

Sem as mitocôndrias de menor rendimento, as restantes se dividem e se multiplicam para suprir a falta daquelas que foram eliminadas. Isto significa que a célula passa a dispor de mais energia e trabalha de forma mais eficiente.

O professor Auwerx afirma que a urolitina A é o único composto químico descoberto até hoje que é capaz de melhorar a musculatura: outros tratamentos experimentais concentram-se na produção de mais músculos.

A equipe está agora realizando um estudo clínico da urolitina A em humanos para ver se o composto consegue reduzir a fragilidade muscular à medida que envelhecemos.

Os resultados em animais foram publicados na revista Nature Medicine.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos Naturais

Alimentação e Nutrição

Qualidade de Vida

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento