Terapia com células-tronco tenta recuperar visão de pacientes

Terapia com células-tronco tenta recuperar visão de portadores de retinose pigmentar
As células-tronco utilizadas nesta pesquisa são derivadas da medula óssea do próprio paciente, ou seja, um transplante autólogo, portanto sem o risco de rejeição.
[Imagem: MCT]

Recuperação da visão

A descoberta de células do organismo humano com capacidade de se multiplicar e de formar novas células especializadas tem trazido esperança para portadores de doenças crônico-degenerativas para as quais não se dispõe de terapias eficazes.

Entre as pesquisas desenvolvidas nesta área está o tratamento com células-tronco que poderá recuperar a visão de portadores da retinose pigmentar, uma doença genética que causa degeneração da retina e perda gradual da visão, provocando cegueira irreversível. No Brasil estima-se que existem aproximadamente 40 mil portadores desta doença.

Esta pesquisa vem sendo conduzida pelo médico e pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq/MCT), Júlio César Voltarelli, em parceria com os oftalmologistas Rubens Siqueira, Rodrigo Jorge e André Messias, da Universidade de São Paulo (USP).

Células-tronco contra cegueira

De acordo com o oftalmologista Rubens Siqueira, as células-tronco utilizadas nesta pesquisa são derivadas da medula óssea do próprio paciente, ou seja, um transplante autólogo, portanto sem o risco de rejeição.

Cinco voluntários que apresentavam menos de 10% de visão já receberam uma injeção de células-tronco, implantadas na cavidade vítrea do globo ocular. "Estamos com grande esperança que esta terapia para doença degenerativa da retina dê certo. Existem duas possibilidades de sucesso: a primeira é a terapia impedir que a doença continue evoluindo evitando que o paciente caminhe para a cegueira. Se isto for possível já será um avanço considerável. A segunda possibilidade é de o tratamento resgatar funcionalmente a retina, ou seja, proporcionar uma melhora visual o que seria o ideal", afirma Rubens.

Terapia celular

A coleta é realizada pelo hematologista especializado em terapia celular e consiste na retirada de uma pequena quantidade da medula óssea do paciente, através de punção por agulha no osso da bacia.

O material coletado do paciente é então processado no laboratório de terapia celular, para separação das células-tronco.

Cerca de cinco horas após a punção, as células são injetadas no olho do paciente, com anestesia local. Não há necessidade de internação e caso o voluntário sinta muito desconforto, pode ser feito um curativo local.

Estudo experimental

Segundo Siqueira, atualmente responsável pela observação e segurança do procedimento nos pacientes voluntários, é importante ressaltar que se trata de um estudo experimental que visa avaliar a segurança.

"Até o momento nenhum paciente mostrou qualquer complicação. Estamos avaliando também o comportamento funcional da retina. Já observamos respostas positivas nos exames de campo visual e no eletrorretinograma, que é um exame no qual avalia o funcionamento da retina através de potenciais elétricos. Estes achados apesar de serem ainda discretos mostraram sinais de que estamos no caminho certo", afirma o oftalmologista.

Ética em pesquisas

O acompanhamento ocorrerá mensalmente durante um ano. Se os exames mostrarem que estas células voltaram a funcionar, os resultados serão enviados ao Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e o órgão decidirá se haverá ou não continuação da pesquisa.

"As pessoas interessadas neste tratamento estão muito esperançosas. Acreditamos que no próximo ano já teremos informações importantes provenientes destes resultados iniciais e de mais pacientes. A estimativa é que se tudo correr bem, entre 1 a 2 anos poderemos começar a propor como uma opção terapêutica", afirma Siqueira.

O pesquisador afirmou ainda que caso haja sucesso nos resultados, será possível que o tratamento com células-tronco possa ser aplicado também no combate a outras doenças de fundo de olho, como a retinopatia diabética e a degeneração macular relacionada à idade.


Ver mais notícias sobre os temas:

Células-tronco

Transplantes

Olhos e Visão

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.