Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

13/09/2011

Transplante de células produtoras de insulina em diabéticos

Redação do Diário da Saúde

Transplante para diabéticos

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) estão estudando o transplante de células como uma abordagem terapêutica para o diabetes.

A nova técnica tem como objetivo evitar a rejeição e aumentar a segurança nos transplantes de ilhotas de Langerhans - um grupo de células do pâncreas que é responsável pela produção de insulina.

O transplante das ilhotas pode fazer com que os portadores de diabetes tipo 1 voltem a produzir a insulina naturalmente, não precisem mais tomar injeções.

Esse tratamento, contudo, apresenta o problema da rejeição, comum nos transplantes em geral.

Encapsulamento

Para inibir a reação do sistema imunológico às novas células transplantadas, os cientistas estão usando uma técnica que encapsulamento, que reveste as ilhotas de Langerhans.

"A cápsula é feita de um material extraído de algas, com uma estrutura que permite que o oxigênio entre nas células e que a insulina ultrapasse a barreira. O tecido impede ainda que o sistema imunológico destrua as ilhotas", explica a bióloga Mari Sogayar.

Os testes ainda são preliminares. Enquanto o transplante de ilhotas já foi realizado no Brasil em cinco pacientes, os testes com a nova técnica só foram realizados até agora em animais.

Os camundongos permaneceram saudáveis, sem o diabetes, por um período equivalente à metade de sua vida. "Após 200 dias, removemos as cápsulas e o animal voltou a ficar diabético," conta a cientista.

Imunossupressores

Com a nova técnica, os médicos conseguem evitar a rejeição do organismo do paciente às células transplantadas, inclusive eliminando a necessidade dos remédios imunossupressores, usados hoje para inibir a rejeição por meio de uma atenuação do funcionamento do sistema imunológico.

Os imunossupressores, além de serem medicamentos caros, provocam efeitos colaterais indesejáveis.

"Alguns deles são causadores de diabetes, outros derrubam a imunidade. Por isso, esse projeto só é usado em casos extremos, quando o paciente diabético tipo 1 não consegue controlar a glicemia só com insulina. Aí tem que fazer alguma coisa, porque esse paciente pode morrer", explica a cientista.


Ver mais notícias sobre os temas:

Transplantes

Sistema Imunológico

Medicamentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?