17/03/2020

Antioxidante de cogumelo alivia sintomas da pré-eclâmpsia

Redação do Diário da Saúde
Antioxidante de cogumelo pode aliviar sintomas da pré-eclâmpsia
Exercícios controlam tanto a hipertensão gestacional quanto o peso do bebê, mas os cientistas estão tentando desenvolver também alternativas farmacológicas contra a pré-eclâmpsia.[Imagem: Hypertension]

Hipertensão da gravidez

A hipertensão da gravidez, ou pré-eclâmpsia, é um distúrbio complexo e passível de consequências graves.

O tratamento da pressão arterial elevada pode controlar a condição na mãe, mas, em casos graves, é necessário antecipar o parto, o que pode apresentar um grande problema para o bebê se ele nascer muito prematuramente.

Agora, Rachel Williamson e uma equipe de universidades nos EUA e na Dinamarca mostraram em um modelo animal que um antioxidante natural, derivado da L-ergotioneína, pode aliviar alguns dos sintomas clínicos da pré-eclâmpsia.

A esperança é que o mesmo seja observado nos seres humanos. Embora as pesquisas e ensaios clínicos sejam complexos e demorados por envolverem grávidas e bebês, o fato de ser uma substância de origem natural pode facilitar o prosseguimento dos estudos.

"Nossa pesquisa mostra que o tratamento de cobaias com pré-eclâmpsia com o antioxidante natural L-ergotioneína reduziu a pressão sanguínea, impediu a restrição do crescimento fetal e diminuiu a produção das substâncias prejudiciais liberadas pela placenta durante a pré-eclâmpsia," diz o Dr. Cathal McCarthy, coordenador dos experimentos.

Ergotioneína

A ergotioneína pode ser encontrada em uma ampla variedade de alimentos, mas principalmente em cogumelos, onde suas quantidades são relativamente altas em comparação com outros alimentos.

Para poder produzir a variante L-ergotioneína em quantidade suficiente para eventualmente tratar pacientes em um ensaio clínico, os cientistas estão procurando maneiras de produzir esse composto eficientemente em grandes quantidades usando células de levedura como biofábricas.

"Hoje, a ergotioneína é produzida quimicamente ou extraída de cogumelos, mas na Universidade Técnica da Dinamarca estamos desenvolvendo um método para produzi-la biologicamente. Isso deve levar a uma disponibilidade muito mais ampla a preços competitivos," disse o pesquisador Douglas Kell.

Já existem muitas evidências dos benefícios da L-ergotioneína em uma variedade de distúrbios neurológicos e vasculares. Assim, a L-ergotioneína parece ser um antioxidante natural seguro, cujo potencial terapêutico parece promissor, mas ainda precisará ser validado em ensaios clínicos em humanos para ser usado clinicamente contra a pré-eclâmpsia.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.