05/04/2021

Própolis vermelha supera medicamento contra esquistossomose

Com informações da Agência Fapesp

Própolis vermelha para esquistossomose

Velha conhecida pelos poderes bactericidas e antifúngicos, a brasileiríssima própolis vermelha - a melhor e a mais rica do mundo - encontrou outra aplicação promissora.

Pesquisadores da Universidade Guarulhos (SP) descobriram que a própolis vermelha funciona como um agente antiparasitário potente, reduzindo o número de ovos e matando os vermes causadores da esquistossomose.

Nos experimentos, a ingestão de 400 mg do extrato por quilograma de peso corporal foram suficientes para reduzir mais de 60% da carga parasitária em camundongos infectados com o verme Schistosoma mansoni.

A ação foi observada tanto em vermes na fase adulta quanto na imatura (vermes jovens). Os testes em cultura mostraram ainda os efeitos da própolis vermelha em inviabilizar o acasalamento e a produção dos ovos do verme.

Mais do que isso, os resultados obtidos com a própolis vermelha indicam que o produto natural pode ser mais eficiente para o tratamento da doença do que o único medicamento existente para tratamento da esquistossomose, o praziquantel.

"As própolis, em especial a vermelha, já têm ação muito conhecida contra bactérias e fungos. Elas têm a função de proteger a colmeia de intrusos e já era esperado que algumas de suas mais de 20 substâncias atuassem contra agentes infecciosos parasitários. O que nos surpreendeu foi ela atravessar o tegumento do verme e matar tanto vermes adultos quanto imaturos, algo que o tratamento convencional da esquistossomose não faz," explicou o professor Josué de Moraes.

Para que a própolis vermelha possa ser receitada contra a esquistossomose, será necessária a realização de testes em humanos com a verminose.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.