28/09/2020

Própolis vermelha contém substâncias que destroem três tipos de câncer

Com informações da Agência Fapesp
Própolis vermelha contém substâncias que destroem três tipos de câncer
Pesquisadores isolaram oito novos polifenóis na variedade mais rara de própolis, dois deles capazes de inibir a proliferação de células tumorais.
[Imagem: Roberto Berlinck]

Própolis contra o câncer

Substâncias isoladas da própolis vermelha reduziram consideravelmente a proliferação de células dos cânceres de ovário, mama e glioma.

A própolis vermelha é muito rara, encontrada no Brasil apenas em colmeias de uma região de mangue no Estado de Alagoas.

Além das duas substâncias anticancerígenas, pesquisadores das universidades de São Paulo (USP) e Estadual de Campinas (Unicamp) descreveram outros seis novos polifenóis - substâncias naturais como os flavonoides e os taninos, encontradas em plantas, cereais e também no vinho - com estruturas totalmente inéditas na ciência.

"Das oito substâncias novas e isoladas pela primeira vez da própolis vermelha, duas apresentaram propriedade citotóxica anticancerígena em células de ovário, mama e de glioma. Realizamos os testes in vitro nesses três tipos de câncer por eles serem multirresistentes a diferentes drogas e, portanto, muito difíceis de tratar.

"Essas células têm um mecanismo, já conhecido, que superexpressa uma proteína responsável pela exclusão de drogas das células, levando à resistência medicamentosa. No entanto, os testes mostraram que as substâncias da própolis vermelha conseguiram contornar esse mecanismo, algo essencial para reduzir os tumores," explicou o professor Roberto Berlinck, professor do Instituto de Química da USP em São Carlos.

Polifenóis

Os polifenóis da própolis vermelha brasileira representam uma nova classe de compostos antiproliferativos do câncer, responsáveis pela inibição de crescimento tumoral e morte celular. "Inclusive, na comparação com testes realizados com um quimioterápico conhecido [doxorrubicina], as substâncias tiveram resultados melhores," afirmou Berlinck.

Os produtos naturais constituem uma das principais fontes de novos medicamentos para o tratamento de doenças como o câncer. Por isso a importância de estudos de bioprospecção, como o realizado com a própolis vermelha, para a detecção de novas substâncias.

Própolis vermelha contém substâncias que destroem três tipos de câncer
A intenção dos pesquisadores agora é descobrir como as abelhas processam a resina da árvore de onde extraem a própolis vermelha.
[Imagem: Journal of Natural Products]

Estudos anteriores já descreveram ações bactericida, antifúngica, anti-inflamatória, imunomoduladora e até mesmo de inibição de crescimento de algumas células de câncer, como da leucemia.

"As abelhas produzem a própolis para a proteção da colmeia. Portanto, não é por acaso que a resina da própolis tem atividade de proteção contra bactérias e fungos. Isso já havia sido descrito em estudos que usaram a própolis bruta. O que fizemos em nosso estudo foi descobrir as substâncias isoladas e comprovar o efeito anticâncer," comentou Berlinck.

Tipos de própolis

No mundo, existem três variedades de própolis: a verde, a marrom e - a mais rara delas - a vermelha.

O Brasil é um dos maiores produtores de própolis no mundo. A variedade vermelha, considerada a melhor própolis do mundo, só é encontrada em Alagoas, onde é produzida por abelhas que se alimentam da resina da árvore Dalbergia ecastophyllum - popularmente conhecida como rabo-de-bugio - que tem uma seiva de cor vermelho vivo.

"Pretendemos agora compreender como as abelhas processam essa resina da árvore. Será que elas modificam a resina transformada em própolis, ou simplesmente a utilizam como tal? Nosso objetivo será focar em responder essas questões em nossas próximas investigações," disse o pesquisador.

Berlinck ressalta, no entanto, que as moléculas descobertas pertencem ao grupo dos polifenóis e, portanto, não são consideradas promissoras para a produção de fármacos. "Infelizmente, os polifenóis se ligam às proteínas de maneira pouco específica, o que não é ideal para um fármaco. Mas talvez seja por esse motivo que a própolis vermelha tenha tantas atividades, justamente por atuar em vários sistemas diferentes," finalizou.

Checagem com artigo científico:

Artigo: Antiproliferative Flavanoid Dimers Isolated from Brazilian Red Propolis
Autores: Thais P. Banzato, Juliana R. Gubiani, Darlon I. Bernardi, Cláudio R. Nogueira, Afif F. Monteiro, Fernanda F. Juliano, Severino M. de Alencar, Ronaldo A. Pilli, Carolina A. de Lima, Giovanna B. Longato, Antonio G. Ferreira, Mary Ann Foglio, João E. de Carvalho, Débora B. Vendramini-Costa, Roberto G. S. Berlinck
Publicação: Journal of Natural Products
Vol.: 83, 6, 1784-1793
DOI: 10.1021/acs.jnatprod.9b01136
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos Naturais

Alimentação e Nutrição

Plantas Medicinais

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.