Alimento natural é mais vantajoso para idoso hospitalizado com desnutrição

Nutrição de baixo custo

A desnutrição é um problema muito comum entre idosos hospitalizados, o que torna necessário um acompanhamento nutricional adequado. Pesquisa da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, realizada pela nutricionista Elci Almeida Fernandes, revela que a complementação feita com alimentos naturais preparados tem o mesmo efeito dos produtos industrializados, com a vantagem de apresentar menores custos para o hospital.

O estudo envolveu 214 pacientes, de ambos os sexos, com idade acima de 60 anos, internados no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). "Todos apresentavam quadro de desnutrição", ressalta a nutricionista. "Esse número equivale a 65% da população idosa internada no hospital".

Industrializado versus natural

Os idosos foram divididos em dois grupos. O primeiro recebia o complemento industrializado líquido, em embalagens tetrapack de 200 mililitros. O segundo, um lanche equivalente calculado e produzido pela cozinha especializada (metabólica) do hospital, com os mesmos teores calóricos e de macronutrientes. A complementação foi oferecida durante dez dias, à tarde e a noite, sem interrupção das refeições fornecidas pelo hospital.

Após esse período, a porcentagem de pacientes que se recuperaram chegou a 24% no grupo que consumiu o lanche preparado, contra 22% do que ingeriu o alimento industrializado. "Além dos resultados semelhantes, a aceitação do complemento foi a mesma nos dois grupos", conta Elci. "A principal diferença está no custo da alimentação habitual, que foi significativamente menor que a industrializada".

Custos da dieta nutricional

De acordo com a estimativa feita pela nutricionista, foram gastos R$ 3,82 por pessoa com o grupo que recebeu o complemento industrializado. Ao mesmo tempo, foram gastos R$ 3,36 por pessoa com os produtos habituais. "Estes números mostram que é possível fazer a recuperação dos pacientes com alimentos habituais, apresentando menores custos com relação ao tempo de internação", acrescenta.

Complementação caseira

Com base nos resultados do estudo, Elci aponta que o hospital que não tem condições de utilizar complementos industrializados pode trabalhar a questão da desnutrição com uma complementação caseira com valor nutricional semelhante. "Isto vai depender de um acompanhamento dietoterápico mais específico por parte dos nutricionistas que vão se envolver com a elaboração e o preparo dos alimentos", observa.

Volta às origens

No lanche equivalente, cada alimento substitui um componente nutricional do líquido industrializado. "Por exemplo, o leite e a clara de ovo cozida fornecem as proteínas do caseinato", conta a nutricionista. "Os carbohidratos contidos na maltodextrina e sacarose estão presentes no pão francês, no açúcar e em frutas como o mamão". Por fim, os lipídios dos óleos de canola e girassol podem ser oferecidos por meio da margarina ou queijo tipo polengui.

Segundo Elci, "os resultados também possibilitam a continuidade do tratamento na casa do paciente após o período de alta hospitalar, por causa do custo e da facilidade de obtenção dos alimentos". A pesquisa com a complementação nutricional para idosos faz parte da dissertação de Mestrado da nutricionista, defendida em abril na FSP.


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Atendimento Médico-Hospitalar

Terceira Idade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.