Ameaças às crianças pela Internet geralmente estão bem próximas de casa

O inimigo está mais próximo do que você pensa

Há um novo ciberinimigo para os pais se preocuparem - e ele não tem o temido estereótipo de um desconhecido de meia-idade. Essa nova ameaça oculta-se não apenas no ciberespaço, mas também no pátio da escola, na classe e, algumas vezes, até dentro de casa.

Um estudo feito no Instituto de Tecnologia de Rochester, nos Estados Unidos, cobrindo mais de 40.000 adolescentes, revelou que 59% das cibervítimas afirmam que os criminosos eram um amigo que eles conheciam pessoalmente. De acordo com a pesquisa, é significativamente mais provável que o perpetrador dos ataques seja um colega de escola do que um adulto.

Perpetradores de cibercrimes

"A maioria das pessoas imagina os perpetradores de cibercrimes como sendo um 'homem soturno' em seu sótão, procurando na Internet por crianças para predar," diz o pesquisador Sam McQuade. "Embora isto seja realmente algo a ser temido, a assustadora nova realidade é que as crianças de hoje estão muito mais freqüentemente atacando umas às outras online - e seus pais raramente têm qualquer idéia do que está acontecendo."

A pesquisa de McQuade foi idealizada para determinar a natureza e a extensão dos cibercrimes e a vitimização por e entre adolescentes.

Ciber bullying

"O que tradicionalmente acontecia no parquinho de diversões agora se moveu para o ciberespaço," diz McQuade. "A principal diferença é que as crianças têm uma sensação de que são anônimas e invencíveis online, então elas parecem atacar de uma maneira que elas não fariam pessoalmente."

As crianças estão utilizando a Internet e outros dispositivos eletrônicos para perpetrar atos não-éticos, socialmente reprováveis e até mesmo crimes.

Roubo de identidade online

O roubo de identidade online é a prática mais comum, mesmo entre os usuários da Internet muito jovens. Doze por cento dos estudantes relataram que alguém tentou se passar por eles online e 13% relataram que alguém havia usado sua senha ou sua conta sem sua permissão.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Educação

Emoções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.