Aparentar quem você não é no mundo virtual gera estresse real

Persona virtual

As redes sociais nos levam a projetar para o exterior o nosso melhor lado, o que faz com que pareçamos alguém que não somos fora do mundo virtual.

Várias pesquisas têm sugerido que ajustamos as nossas interações on-line para esconder aspectos da nossa personalidade que não gostamos - ou não queremos compartilhar. Em outras palavras, nós agimos como um curador dos nossos egos digitais, procurando destacar apenas nossas melhores partes.

O problema é que essa máscara de um "ser melhor" vem com um custo.

Quando a sua auto-apresentação diverge muito de quem você realmente é, isso gera estresse e leva a sentimentos de desconexão social.

Polimento

Rachel Grieve e Jarrah Watkinson, da Universidade da Tasmânia (Austrália), afirmam que o impacto dessas emoções negativas decorrentes do "polimento" da nossa identidade para apresentação nas redes sociais é maior do que se pensava.

Eles constataram que, quanto mais o verdadeiro eu das pessoas diverge da "persona" que elas apresentam online, menos elas se sentem socialmente conectadas e mais estresse elas relatam.

Ou seja, tentar ser nas redes sociais alguém que você não é na vida real carrega uma carga emocional e mental similar à que você experimentaria se tentasse fingir o tempo todo no mundo real.


Ver mais notícias sobre os temas:

Relacionamentos

Emoções

Memória

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.