Brasileiro gosta de inovações, mas teme adotá-las

Brasileiro gosta de inovações, mas teme adotá-las
O brasileiro está crescentemente se interessando pelas inovações e pela posse. Porém, ainda é uma pessoa cheia de incertezas e receios em relação às novidades sobre as quais tem tanta curiosidade.
[Imagem: Ag.USP]

Estilos de comprar

Você imagina que há alguma diferença entre Brasil, Holanda, Suécia, Alemanha e Reino Unido na hora que uma pessoa de cada um desses países resolve fazer uma compra pela internet?

O pesquisador Abrão Caro, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, escolheu esses países para analisar como é o perfil de cada nacionalidade ao adquirir produtos por meio do computador.

Tendo os estudantes universitários como alvo de seu estudo, o pesquisador se interessou em encontrar fatores que influenciam uma pessoa a optar pela compra via internet.

Segundo o estudo, o comportamento na compra online exibe os perfis de cada nacionalidade.

Variáveis de comportamento

As variáveis que foram utilizadas por Caro para embasamento de sua tese e que diferenciaram os países analisados foram elaboradas pelo psicólogo holandês Geert Hofstede.

São elas: nível de desigualdade no país (PDI), individualismo (IDV), masculinidade (MAS) e aversão junto à incerteza (UAI). "Essas variáveis também farão diferença ao traçar o perfil de quem compra pela internet em cada país", conta o pesquisador.

Os valores dessas variáveis são numéricos, portanto é possível comparar diversos países para entender melhor o comportamento de cada um. Por exemplo: ao confrontar os dados de Brasil e Suécia, percebe-se que a cultura nacional faz com que os dois países tenham características praticamente opostas.

Em termos de desigualdade, o Brasil atinge o número 69, e a Suécia, 31, o que mostra que o segundo país é mais igualitário. Observando o individualismo, a Suécia teve o número mais alto: 71 contra 38 do Brasil.

Masculinidade

O dado mais contrastante é o de masculinidade: apenas 5 da Suécia contra 49 do Brasil. "O número mais baixo mostra que esse país preza mais pela qualidade de vida, e não tanto pelo poder", afirma Caro.

A Suécia também se mostra um país muito mais seguro de si do que o Brasil: a aversão do brasileiro junto à incerteza chegou a 76 pontos, enquanto os suecos ficaram em apenas 35 pontos.

"O Brasil é um país que se cerca de leis e regras diante de uma incerteza. Os países europeus, porém, têm uma população mais segura de si, que saberá lidar com esses impasses", explica Caro, que exemplifica a variável com a lei do assento preferencial em transportes públicos. "Não seria preciso uma lei se todos tivessem consciência de que idosos, gestantes, pessoas carregando crianças no colo e deficientes têm preferência para ocuparem os assentos."

Psicologia Social

A partir desses dados, o pesquisador analisou o que leva o consumidor online a ter a atitude de compra. Caro, baseando-se em teoria da Psicologia Social, concluiu que três fatores eram os que mais influenciavam a intenção e, consequentemente, a adoção da compra: a predisposição para comprar, a pressão social e o que o pesquisador chama de controle percebido.

"É o mesmo tipo de análise que alguém faz, por exemplo, quando quer parar de fumar: primeiro, há o desejo de parar de fumar. Além disso, a sociedade se manifesta contra os fumantes: lei antifumo e fumódromos são fatores de pressão social. Por fim, o controle percebido é a dúvida. A pessoa quer parar de fumar, é pressionada a isso, mas não sabe se consegue. Se o controle percebido é baixo, ela tem menos dificuldade em parar", explica.

Essa atitude de compra, todavia, também tem seus antecedentes. Entre eles está a compatibilidade com o estilo de vida da pessoa: será que comprar pela internet é a forma mais cabível e vantajosa?

Nos países europeus, o antecedente que mais se destaca é o envolvimento. É ele que mostra que o continente europeu já lida com grande naturalidade com a internet. Já no Brasil, o que se destaca é a inovatividade, já que a adoção da internet como meio para compra ainda é uma grande novidade no país.

Personalidade brasileira

Para ilustrar a distribuição dos adotantes de uma inovação, Caro se utilizou de uma curva de Gauss.

O Brasil, nessa curva, está nos adotantes iniciais das inovações da internet, o que mostra que a sociedade brasileira está, crescentemente, aderindo a novidades da rede. A maioria dos países europeus, porém, está na segunda metade da curva, em que os adotantes não imediatos são maioria na sociedade.

Por meio de todos os dados explicitados, então, Caro concluiu que o brasileiro é uma pessoa que vive em uma sociedade desigual, que está crescentemente se interessando pelas inovações e pela posse. Porém, ainda é uma pessoa cheia de incertezas e receios em relação às novidades sobre as quais tem tanta curiosidade.


Ver mais notícias sobre os temas:

Consumo Responsável

Ética

Emoções

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.