Butantan avança na transferência de tecnologia da vacina contra HPV

Vacina contra HPV

O Instituto Butantan entrará na segunda etapa do processo de transferência de tecnologia da vacina contra o vírus do HPV, que previne o câncer de colo de útero.

Com isso o Brasil, que atualmente utiliza a vacina importada, poderá se tornar autossuficiente na produção do fármaco.

Nesta segunda fase, o Butantan passará a aferir a qualidade e embalar o produto no Brasil, com rotulagem própria do Instituto, antes de distribuir as doses para a rede pública.

A transferência de tecnologia é resultado de parceria entre o Instituto, o Ministério da Saúde e a empresa farmacêutica MSD. De acordo com o Butantan, a transferência de tecnologia é feita do fim para o início do processo produtivo. Ou seja, desde 2014 o Butantan importava os lotes da MSD e distribuía para o ministério.

Treinamento

Um passo importante na absorção da tecnologia será o treinamento dos profissionais do instituto para o processo de formulação da vacina e envasamento pelo Butantan.

Na última etapa, o Butantan realizará a produção integral do produto.

Com a parceria será possível reduzir o custo da vacina em 80%. A expectativa é produzir 10 milhões de doses por ano, suficiente para cobrir as novas gerações e vacinar pessoas de idades além do público-alvo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Vacinas

Saúde da Mulher

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.