Campanha pretende aumentar doações de leite materno

Bebês de até seis meses devem se alimentar exclusivamente com leite materno.

Esta é a recomendação básica sobre amamentação do "Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos", do Ministério da Saúde.

E, para que nenhum bebê fique sem leite, o Ministério lançou uma campanha nacional de doação de leite humano com o slogan "Quando você doa leite materno, doa vida para o bebê e força para a mãe".

Doação de leite materno

A campanha deste ano tem como meta aumentar em 15% o volume de leite coletado no Brasil, ampliando o número de bebês beneficiados.

A campanha é necessária porque algumas mães não conseguem amamentar seus filhos por algum motivo e precisam de doações.

Qualquer mulher que amamente tem condições de doar leite para bebês prematuros e de baixo peso. Para isso, basta procurar o banco de leite mais próximo de sua casa e se informar.

A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (Rede BLH) possui hoje 213 BLHs e 131 postos de coleta em todo o Brasil (encontre-os aqui) e eles podem inclusive ir até a casa da mãe para recolher o leite.

Alimento materno

O leite materno contém tudo que o bebê precisa até o sexto mês de vida, inclusive água.

"Esse é o alimento padrão para o bebê até os seis meses, não só pelo benefício nutricional, mas também pela consolidação dos vínculos afetivos com a mãe e pela cobertura imunológica", explica Jacira Maria Gomes da Silva, pediatra do Ministério da Saúde.

Jacira ressalta que o leite materno é como se fosse uma primeira vacina que o bebê recebe, pois ele evita doenças como diarreia e pneumonia, diminuindo a mortalidade infantil.

Após os primeiros seis meses de vida, o bebê deve receber de forma lenta e gradual uma alimentação complementar. Mesmo recebendo outros alimentos, a criança deve continuar a mamar no peito até os dois anos ou mais, pois o leite materno continua alimentando e protegendo-a contra doenças.

"Não tem problema continuar amamentando depois dos dois anos. O leite materno jamais trará algum dano. Mas, a partir do sexto mês, há outras necessidades do organismo que precisam ser supridas. O bebê deve se alimentar com leite materno e uma alimentação complementar, como feijão, arroz, frutas e hortaliças", completa a pediatra Jacira da Silva.


Ver mais notícias sobre os temas:

Amamentação

Cuidados com o Recém-nascido

Cuidados com a Família

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.