Capacete sem fios detecta danos cerebrais

A tecnologia desenvolvida para controlar próteses e outros equipamentos usando o pensamento poderá ter um uso imediato em situações de risco de vida.

O aparelho, parecido com um capacete, analisa os dados das ondas neurais em busca de sinais de hemorragia ou outros danos no cérebro.

Isto cria um novo tipo de exame, barato, rápido e menos invasivo, para acompanhamento de pessoas vítimas de acidente em prontos-socorros, ou de pacientes em risco de derrames.

"Esta tecnologia é barata, pode ser usada em áreas mais pobres do mundo ou em zonas rurais, onde há falta de infraestrutura, podendo reduzir substancialmente o custo e mudar o paradigma do diagnóstico médico," entusiasma-se o Dr. César González, do Instituto Politécnico Nacional (México).

Capacete sem fios detecta danos cerebrais
O aparelho utiliza bobinas para transmitir e receber sinais eletromagnéticos, e um algoritmo de computador analisa os dados para determinar se existe inchaço ou sangramento no cérebro.
[Imagem: César A. González]

Ondas neurais

González e seus colegas testaram um protótipo do aparelho em adultos saudáveis e pacientes com trauma cerebral em um hospital do exército mexicano.

Analisando apenas as ondas neurais, os resultados mostram diferenças claras entre os pacientes saudáveis e aqueles com danos cerebrais - nestes, é possível também separar uma hemorragia de um inchaço causado por uma concussão cerebral.

O teste está chamando a atenção da comunidade científica porque, embora o tempo seja crucial no tratamento de acidentes cerebrais - sejam físicos, sejam vasculares -, esses danos nem sempre são imediatamente óbvios.

Por exemplo, a medicação anticoagulante para determinados tipos de derrame deve ser dada até três horas depois do início dos sintomas. Mas o atendimento inicial e a realização de exames clássicos pode demorar muito mais do que isso.


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Cérebro

Exames

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.