Céticos e religiosos narcisistas não passam no vestibular da Ética

Céticos e religiosos narcisistas não passam no vestibular da Ética
A dúvida é o principal preceito do ceticismo - mas parece que a dúvida permanece quando o assunto é a ética.
[Imagem: Wikipedia]

Narcisismo e religião

O narcisismo descreve a característica de personalidade marcada pela paixão por si mesmo.

Estudos já mostraram que altos níveis de narcisismo comprometem o discernimento ético, independentemente da orientação religiosa ou de eventuais crenças ortodoxas da pessoa.

Mas agora se demonstrou que o narcisismo é ainda mais prejudicial justamente para aqueles que mais se espera primarem pela ética.

Quando se fala de uma expectativa de comportamento ético, está-se referindo a pessoas que afirmam ter seu próprio conjunto intrínseco de regras éticas e de pessoas que afirmam aderir a um corpo doutrinário tipicamente orientado para a ética, neste caso a religião cristã.

Céticos, cristãos não-praticantes e cristãos ortodoxos

O estudo identificou três grupos de pessoas com características típicas quando o assunto é o narcisismo e a ética: céticos, cristãos nominais e cristãos devotos.

Os céticos rejeitam largamente os ensinamentos cristãos fundamentais.

Os cristãos nominais, aqueles que apenas se dizem cristãos, mas não participam ativamente da religião institucional, são moderados em sua orientação religiosa intrínseca, e mantêm uma certa distância das crenças ortodoxas.

Já os cristãos devotos têm forte orientação religiosa intrínseca e aderem à ortodoxia, o que indica que eles internalizam totalmente as crenças e valores cristãos.

"Nós descobrimos que, no geral, os cristãos nominais e os devotos apresentam melhor julgamento ético do que os céticos, mas aqueles que apresentam tendências narcisistas estão na extremidade mais baixa do espectro," disse Chris Pullig, da Universidade Baylor (EUA).

Força do narcisismo

"Entretanto, há uma alteração notável conforme os níveis de narcisismo aumentam para os indivíduos dentro de cada categoria," ressalta ele.

"Ambos os grupos nominal e devoto mostram graus de julgamento ético frágil igual ao dos céticos quando acompanhados de graus mais elevados de narcisismo, o que sugere uma transformação dramática tanto para nominais quanto para devotos quando o julgamento ético é obscurecido por tendências narcisistas," esclarece o Dr. Pullig.

"Pessoas religiosas que são narcisistas e exercem juízos éticos pobres estariam cometendo atos que são, de acordo com seu próprio sistema interiorizado de valores, descaradamente hipócritas," explica Marjorie Cooper, coautora do estudo.

"O narcisismo é tão intrusivo e poderoso que leva as pessoas a se comportarem de maneiras hostis às suas crenças mais profundamente arraigadas," completa a pesquisadora.

Sem modificações

Para os céticos, a faixa de pontuação para o julgamento ético de baixo para cima - de menos ético até mais ético - não apresenta a faixa que é encontrada entre os religiosos, sejam nominais ou devotos. em reação ao próprio narcisismo.

Ou seja, o narcisismo não parece piorar significativamente o julgamento ético entre os céticos, continuando eles na parte baixa da escala em qualquer situação.

O que é Narcisismo?

O Manual de Diagnósticos e Estatísticas de Transtornos Mentais, publicado pela Associação Psiquiátrica Norte-Americana, define o Transtorno de Personalidade Narcisista como alguém cujo comportamento é apropriadamente descrito por pelo menos cinco dentre nove características.

  1. um sentido exagerado de auto-importância;
  2. fantasias de sucesso extraordinário, poder, inteligência, beleza ou amor ideal;
  3. crença de que é "especial" e só deve associar-se com, e só pode ser compreendido por, outras pessoas de status elevado;
  4. procura excessiva pela admiração dos outros;
  5. uma sensação de merecimento, de ter direito a algo;
  6. objetificação dos outros para alcançar objetivos pessoais e gratificação;
  7. falta de empatia;
  8. inveja dos outros ou crença que os outros têm inveja de si mesmo;
  9. comportamento presunçoso, arrogante, paternalista ou de desprezo em relação aos outros.

No entanto, os comportamentos narcisistas parecem constituir um continuum, indo do mais suave ao mais severo, o que está sendo levado em conta em uma revisão que está atualmente em curso no Manual de Doenças Mentais.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Espiritualidade

Emoções

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.