Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

16/08/2012

Chocolate amargo pode reduzir pressão sanguínea em 2%

Com informações da BBC

Pressão negativa

O consumo diário de chocolate escuro, ou amargo, pode ajudar a reduzir levemente a pressão sanguínea, segundo indica uma análise de 20 estudos

Os ganhos variaram entre 1,6% e 2,5% da pressão considerada normal.

A pesquisa foi feita pelo grupo Cochrane, uma colaboração internacional de milhares de especialistas que revisam estudos já realizados por outros cientistas.

Não foram avaliados "efeitos colaterais" do consumo da guloseima, que possui elevado teor de gordura, podendo incrementar o ganho de peso e colaborar com outras condições indesejáveis.

É por isto que cientistas vêm tentando, com algum sucesso, diminuir o índice de gordura do chocolate.

Estudos anteriores, mesmo os combinados pela análise Cochrane, haviam apresentando resultados variados.

Flavonoides

A conclusão consolidada dos estudos credita os efeitos benéficos do chocolate amargo ao cacau, principal ingrediente do chocolate, que relaxa os vasos sanguíneos.

A teoria é que o cacau contém flavonoides, que fazem o corpo humano produzir a substância química chamada óxido nítrico, que "relaxa" os vasos, facilitando a passagem do sangue e, por consequência, diminuindo a pressão sanguínea.

Efeitos colaterais do chocolate

Entretanto, especialistas dizem que há maneiras mais saudáveis de se diminuir a pressão do sangue já que o chocolate possui muita gordura e açúcar.

Há inclusive um alerta na publicação médica Lancet de que o chocolate escuro pode conter menos flavonoide do que se imagina já que a substância pode ser removida por ser amarga.

"É difícil saber ao certo a quantidade de flavonoide do cacau que seria necessária para que seja observado um efeito benéfico e qual a melhor forma de obtê-la", diz Victoria Taylor da Fundação Britânica do Coração (British Heart Foundation).

"As 100g de chocolate que precisariam ser consumidas diariamente, segundo alguns estudos, também viriam com 500 calorias. Isto é um quarto da recomendação diária para mulheres."

"Feijões, maçãs e outras frutas também contêm flavonoide e, mesmo vindo em menor quantidades do que no cacau, estas opções tem menos efeitos indesejáveis do que os encontrados no chocolate", disse ela.

Pressão alta

A quantidade diária de cacau consumida por cada participante variou de 3g a 105g, mas todos apresentaram uma leve redução na pressão.

Uma pressão sistólica de 120 mmHg (milímetros de mercúrio) é considerada normal. O cacau reduziu-a entre 2 a 3 mmHg.

Mas os estudos duraram apenas duas semanas, portanto os efeitos no longo prazo são desconhecidos.

Pressão alta é um problema comum, sendo relacionada com 54% dos ataques cardíacos em todo o mundo e 47% das doenças coronárias.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sistema Circulatório

Coração

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?