Competência artística - como transformar a criatividade em atividade econômica

Competência artística - como transformar a criatividade em atividade econômica
A crescente importância econômica do setor artístico está fazendo nascer conceito novos, como o de "indústrias criativas" e o de "economia da experiência".
[Imagem: Wikimedia/David Shankbone]

Relação entre cultura e economia

A visão tradicional sobre a arte afirma que a atividade deve ser subsidiada e que não se deve esperar que sua produção gere dinheiro.

Evelina Wahlqvist, pesquisadora da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, não concorda com isto. Segundo ela, a relação entre o setor cultural e o crescimento da economia como um todo está se tornando cada vez mais significativa e relevante.

Economia da criatividade

As pessoas que vivem nas sociedades materialmente mais ricas apresentam uma demanda crescente por vários tipos de experiências, defende ela. Isto implica um mercado crescente para os produtos culturais.

Este movimento está fazendo nascer conceito novos, como o de "indústrias criativas" e o de "economia da experiência".

Os dados parecem endossar os argumentos de Evelina. Seu estudo, baseado na Europa, afirma que o setor cultural do continente gira em torno de € 650 bilhões anualmente.

No Brasil, estimativas do Ministério da Cultura dão conta de que o mercado cultural nacional envolve cerca de 290 mil empresas e movimenta em torno de R$17,8 bilhões anuais. O Ministério inclusive já encomendou um índice de preços específico para o setor cultural brasileiro.

Era da Criatividade

A pesquisa da qual Evelina participou, chamada Suécia na Era da Criatividade, revela resultados surpreendentes sobre as avaliações da criatividade em toda a Suécia - a densidade de artistas e o crescimento econômico correlacionam-se incrivelmente bem.

"Estes resultados apontam para a contribuição indireta do trabalho cultural. Agora é hora de dar o próximo passo - estudar as contribuições diretas do setor cultural para o crescimento econômico - e eu foco nos indivíduos," diz a pesquisadora, argumentando que deve ser dada atenção à formação desses profissionais e à sua inserção nesse "mercado da criatividade."

Potencial da Economia Cultural

"Os esforços feitos na indústria da criatividade são frequentemente discutidos de cima para baixo. Temos também de olhar para as situações dos artistas. O conhecimento sobre as oportunidades e os obstáculos que indivíduos experimentam pode ser utilizado para dar uma melhor perspectiva, fazer generalizações e levar a conclusões que possam contribuir para um setor artístico forte,", diz a pesquisadora, que acredita que a sociedade pode se tornar melhor se tirar proveito total das competências artísticas dos seus cidadãos.

Sua pesquisa propõe como isso pode ser feito. Além das descrições dos planos de carreira na área artística, o relatório também aborda como os estudantes de arte sentem-se sobre seus cursos e sobre os programas educacionais em suas respectivas áreas.

O estudo, que pode ajudar a traçar as políticas para a criação de uma gama totalmente nova de ocupações e de empregos, que envolverão arte e criatividade, está disponível para download gratuito. O trabalho, em inglês, pode ser baixado no endereço http://www.hgu.gu.se/Files/Handels_mainsite/press/making_art_Work_2009.pdf.


Ver mais notícias sobre os temas:

Diversão

Trabalho e Emprego

Bem-estar emocional

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.