Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

04/09/2014

Ao ir às compras, prefira objetos do tipo "ter para fazer"

Redação do Diário da Saúde
Ao fazer comprar, prefira objetos do tipo
Mesmo que você esteja sem dinheiro, para se sentir mais feliz fale sobre experiências, e não sobre coisas.[Imagem: Wikimedia/Yann]

A relação entre comprar coisas e comprar experiências tem sido estudada há anos, com claras indicações de que comprar experiências, e não bens materiais, traz mais felicidade.

Contudo, compras de objetos do tipo "ter para fazer" tornam as pessoas tão felizes quanto as experiências de vida.

Por exemplo, se você compra uma ferramenta para fazer coisas em casa, um equipamento para seu esporte favorito ou um instrumento musical para seu hobby - desde que você os use conforme planejado -, a aquisição terá o mesmo efeito sobre o seu bem-estar que sair para uma viagem de férias.

Objetos experienciais

A regra básica estabelecida pelas pesquisas anteriores é que as pessoas tornam-se mais felizes quando compram experiências de vida do que quando compram objetos.

Mas este novo estudo examinou as reações dos consumidores ao que os pesquisadores chamaram de "objetos experienciais", produtos que combinam itens materiais e experiências de vida.

Em outras palavras, compras de objetos do tipo "ter para fazer".

Embora os objetos comuns e os produtos experienciais sejam ambos bens tangíveis, afirmam os pesquisadores, estes últimos satisfazem uma necessidade psicológica de maior competência, porque muitas vezes eles exigem que os consumidores utilizem algum tipo de habilidade ou capacidade.

Darwin Guevara, da Universidade de Michigan, argumenta que os objetos que trazem experiências trazem mais bem-estar do que itens materiais porque satisfazem a autonomia da pessoa (comportamentos para expressar a própria identidade), a competência (dominar uma habilidade ou capacidade) e o pertencimento (um sentimento de fazer parte de um grupo).

Comprar experiências de vida

Os resultados indicam que os produtos experienciais fornecem o mesmo nível de bem-estar que as experiências de vida (comer fora, ir a um concerto ou viajar), e mais bem-estar do que os itens materiais do tipo "ter para ter".

Mas caso você não tenha nenhum hobby, e queira realmente comprar experiências, é bom saber que outro estudo indicou que as experiências que você deve comprar dependem da sua personalidade.

Os resultados foram publicados no Journal of Consumer Psychology.


Ver mais notícias sobre os temas:

Felicidade

Consumo Responsável

Trabalho e Emprego

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento