Dilema Moral: Você mataria 1 pessoa para salvar 5?

Dilema Moral: Você mataria 1 pessoa para salvar 5?
Pesquisadores criaram um ambiente virtual com todas as imagens, sons e consequências das ações, incluindo os gritos daqueles cujos destinos seriam traçados pelo participante.
[Imagem: MSU]

Salomão

Imagine que um trem esteja se dirigindo para uma passagem estreita onde estão cinco pessoas que não têm como sair do seu caminho.

Agora imagine que só você tem a possibilidade de redirecionar o trem para uma outra passagem, onde só há uma pessoa que não conseguirá escapar.

Você acionaria a alavanca para mudar o trem de rota?

Dilemas morais virtuais

Dilemas morais como esse têm desafiado os filósofos há milênios.

Mas os pesquisadores da Universidade de Michigan (EUA) acharam melhor esquecer de todo a teoria e criar um ambiente que reproduzisse a situação com o máximo possível de realismo.

Eles criaram um ambiente virtual com todas as imagens, sons e consequências das ações, incluindo os gritos daqueles cujos destinos seriam traçados pelo participante.

O ambiente controlado também permitiu que os cientistas monitorassem o estado emocional dos voluntários que tomavam a decisão.

Bem maior ou mal menor

"O que nós descobrimos é que a regra 'Não Matarás' pode ser suplantada por considerações do tipo 'um bem maior'," diz o Dr. Carlos David Navarrete, coordenador do experimento.

E os resultados não deixaram margens para dúvidas: 90% dos voluntários acionaram a chave para mudar o trem de rota, decidindo quem deveria morrer.

Para os pesquisadores, isto mostra que as pessoas violam uma regra moral se esta violação representar a escolha entre um mal maior e um mal menor - os filósofos nunca chegaram a nada parecido com o consenso apresentado pelos voluntários.

Congelado

O estudo também revelou que os participantes que não acionaram a chave, deixando que o trem matasse as cinco pessoas - virtualmente - tiveram emoções mais intensas.

As razões para isso são desconhecidas, embora possa ser porque as pessoas congelam durante momentos de muita ansiedade - semelhante a um soldado que não dispara sua arma em batalha, afirmou Navarrete.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Espiritualidade

Sentimentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.