DNA do indivíduo determina tempo para que HIV gere a AIDS

DNA do indivíduo determina tempo para que HIV gere a AIDS
Estrutura interna da mitocôndria.
[Imagem: Wikimedia Commons]

DNA mitocondrial

A velocidade com que a infecção pelo HIV se transforma em AIDS depende do DNA do indivíduo. Algumas variações do DNA nas mitocôndrias, a parte das células que gera energia, parece fazer com que a AIDS se manifeste duas vezes mais rapidamente do que outras.

A equipe do Dr. Stephen O'Brien, do Instituto Nacional do Câncer (Estados Unidos), examinou dados de cinco estudos de longo prazo que acompanharam um total de 1.833 pacientes com HIV durante os anos 1980 e início dos anos 1990, segundo reportagem da revista New Scientist.

Isto foi antes que a terapia anti-retroviral - o coquetel contra a AIDS - fosse desenvolvido, de forma que os pesquisadores puderam acompanhar a manifestação da doença sem a intervenção da ação de medicamentos.

Tempo entre infecção com HIV e surgimento da AIDS

Analisando o tempo que levou para que as pessoas infectadas com o HIV levaram para desenvolver doenças relacionadas com a AIDS, e conectando estes dados com as informações genéticas dos indivíduos, os pesquisadores descobriram que os genótipos de DNA mitocondrial estão associados com o desenvolvimento rápido da AIDS.

Por exemplo, indivíduos com conjuntos específicos de variações genéticas conhecidas como haplogrupos U5a1 e J progrediram para a AIDS no dobro da velocidade da média de todos os indivíduos do grupo. Por outro lado, indivíduos com o haplogrupo H3 progrediram duas vezes mais lentamente do que a média.

Papel das mitocôndrias na progressão do HIV/AIDS

Os resultados dão suporte às teorias atuais de que as mitocôndrias estão relacionadas com a progressão do HIV/AIDS. O vírus mata as células do sistema imunológico acionando o suicídio das células - um fenômeno chamado apoptose - que parece acontecer mais facilmente em células com mitocôndrias que geram menos energia.

"A menor quantidade de energia disponível parece exacerbar os efeitos da doença," diz Sher Hendrickson, também membro da equipe. Os aplogrupos J e U5a1 parecem ser responsáveis por esta falta de energia.

Resultados práticos

A principal implicação da descoberta é que os testes de DNA mitocondrial no futuro poderão dar um prognóstico preciso para as pessoas com HIV, embora mais pesquisas devam ser feitas levando em conta outras influências genéticas e ambientais.

A pesquisa poderá também determinar quando um indivíduo deverá começar com a terapia anti-retroviral.


Ver mais notícias sobre os temas:

Genética

Vírus

Drogas Inteligentes

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.