Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

30/05/2012

Emoções fortes sincronizam cérebros dos envolvidos

Redação do Diário da Saúde
Emoções fortes geram sintonia entre cérebros das pessoas
A sincronia ocorre sempre, embora emoções positivas e emoções negativas causam a sincronia entre partes diferentes do cérebro. [Imagem: Lauri Numminmaa]

Acompanhando o ritmo

Experimentar emoções fortes sincroniza a atividade cerebral das pessoas envolvidas.

Basta assistir a uma cena emocionalmente carregada para que seu cérebro bata no mesmo ritmo do cérebro das pessoas envolvidas.

É o que garantem pesquisadores das universidades Aalto e Turku Centre, na Finlândia.

Contágio das emoções

As emoções humanas são altamente contagiosas.

Na verdade, não apenas a expressão da felicidade é contagiante, como até mesmo atos de bondade espalham-se pela sociedade de maneira viral.

Apenas ver a expressão emocional dos outros, como um sorriso, muitas vezes desencadeia uma resposta emocional correspondente no observador.

Essa sincronização de estados emocionais entre os indivíduos pode ajudar na interação social.

Quando todos os membros de um grupo compartilham um estado emocional comum, os seus cérebros e corpos "processam" o ambiente de uma forma semelhante.

Sincronia emocional

Os pesquisadores agora descobriram que sentir emoções fortes afeta também o "hardware humano", fazendo com que a atividade do cérebro dos diferentes indivíduos literalmente entre em sincronia.

Os resultados revelaram que as fortes emoções desagradáveis sincronizam as redes cerebrais de processamento das emoções nas regiões frontal e linha média do cérebro.

Por outro lado, eventos positivos altamente excitantes sincronizam a atividade nas redes de apoio à atenção, visão e sentido do tato.

"Compartilhar o estado emocional dos outros dá aos observadores um quadro somatossensorial e neural que facilita a compreensão das intenções e das ações dos outros, e permite 'sintonizar' com eles," dizem os pesquisadores.

"Essa sincronia automática facilita a interação social," afirmou Lauri Nummenmaa, da Universidade Aalto.

Transtornos mentais

Os resultados têm implicações importantes para os atuais modelos neurais das emoções e do comportamento humano em grupo.

Segundo Nummenmaa, eles também aprofundam nossa compreensão dos transtornos mentais que envolvem o tratamento socioemocional anormal.

A atividade cerebral dos participantes foi medida por ressonância magnética funcional enquanto eles assistiam as cenas emocionalmente carregadas, positiva e negativamente, em uma tela.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Mente

Cérebro

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão