Equipamentos para área da saúde terão financiamento prioritário

Tratamentos de maior qualidade

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) decidiu dar prioridade ao financiamento de equipamentos destinados à área da saúde, a fim de contribuir para ampliar o acesso da população a tratamentos de maior qualidade. A informação foi dada hoje (21) pelo chefe do Departamento de Credenciamento e Financiamento a Máquinas e Equipamentos do BNDES, William Saab.

O departamento atua nas duas pontas. Ele credencia os fabricantes brasileiros de equipamentos voltados à área da saúde. "É um trabalho de fomento ao parque industrial brasileiro". Na outra ponta, o banco financia a aquisição de máquinas e equipamentos por hospitais, clínicas, laboratórios, através da linha Finame e do Programa de Modernização da Indústria Nacional (Modermaq).

Dinheiro à disposição

Não há nenhuma restrição ou escassez de recursos para o setor de saúde. "Pelo contrário. A gente até gostaria de receber um volume maior de operações destinadas a esse setor", disse Saab.

Para apoiar a indústria brasileira o BNDES exige que as máquinas e equipamentos oferecidos para financiamento ao setor de saúde tenham um índice de nacionalização em valor e peso de, no mínimo, 60% de conteúdo local.

Saab afirmou que o BNDES ainda não registra um volume significativo de pedidos que represente um êxito para a instituição. "O banco está ansioso por receber cada vez mais beneficiários do setor de saúde que possam acessar essa linha ou esse programa."

Prioridade para o setor de saúde

Saab salientou que, no Modermaq, o banco pretende apoiar com ênfase e prioridade o setor de saúde. "Então, qualquer hospital, clínica ou entidade ligada ao setor de saúde que seja enquadrada na categoria Q-86 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) poderá ter condições especiais nesse programa." Essa classificação se refere a equipamentos relacionados à atividade de atenção à saúde humana.

A participação do BNDES no programa Modermaq é de até 90% do valor do equipamento financiado para qualquer porte de beneficiário. As condições financeiras são Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), praticada pelo banco em suas operações, hoje de 6,25% ao ano, mais taxa de 0,5%/ano e remuneração do agente financeiro credenciado de até 3,5% ao ano.

Carência expandida

O prazo de amortização médio é de 60 meses, com carência de até seis meses. Saab esclareceu, contudo, que devido à prioridade dada ao setor saúde pelo BNDES há a possibilidade de o prazo de carência ser expandido em até 24 meses. Por serem efetuadas de forma automática, as operações passam por crivo anterior de um agente credenciado pelo banco.

Na linha Finame, voltada para micro, pequenas e médias empresas, a participação do banco alcança até 100% do valor do equipamento, englobando TJLP mais taxa anual de 0,9% mais taxa de risco do agente credenciado. "As entidades do setor saúde que sejam de menor porte também poderão obter condições muito benéficas por meio da linha Finame Comercialização."


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Gestão em Saúde

Exames

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.