Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

20/10/2015

Força da mordida pode dizer quantos anos você irá viver

Redação do Diário da Saúde
Força da mordida pode dizer quantos anos você irá viver
Aparentemente por razões diferentes, sabe-se que comer menos calorias faz as pessoas viverem mais.[Imagem: MPI for Biology of Ageing]

Entropia da mastigação

Cientistas afirmam ser possível prever o quanto de vida resta a uma pessoa medindo a força dos músculos de mastigação em sua mandíbula.

Jale Çatak e seus colegas da Universidade de Yeditepe (Turquia) afirmam ser possível usar a Segunda Lei da Termodinâmica para mostrar o quanto o "fluido vital" de uma pessoa está se esvaindo.

Segundo eles, a entropia dos músculos da mandíbula aumenta com cada mordida. Essa entropia se acumula ao longo da vida, e sua medição em um momento qualquer da vida pode ser usada para estimar a expectativa de vida da pessoa.

Lei do pessimismo

A Segunda Lei da Termodinâmica é o oposto exato da otimista expressão: "As coisas só podem melhorar". Na verdade, a desordem em um sistema fechado, a entropia, sempre aumenta... eventualmente. Em outras palavras, as coisas só podem piorar.

Durante nossa vida, nossos corpos têm sistemas de reparo para lidar com danos aos tecidos, mas esses tecidos acabam sofrendo desgaste, principalmente através da fricção.

Os pesquisadores defendem um conceito de "entropia do tempo de vida", que propõe que os organismos vivos têm uma capacidade limitada para gerar desordem - ou entropia - durante a sua vida. Quando esse limite for atingido, o organismo morre, essencialmente "de causas naturais".

Engula esta

Pelos cálculos da equipe, uma pessoa irá gerar 10 kilojoules por grau Kelvin de entropia ao longo de 76 anos de vida. Uma pessoa obesa, que ingere cerca de 10% mais nutrientes, pode atingir esse nível de entropia cinco anos antes.

Dessa forma, dizem os cientistas, é possível determinar a entropia dos músculos de mastigação em condições de laboratório registrando medições precisas de energia nos tecidos da mandíbula, o que irá fornecer uma estimativa de vida com base nas quantidades prováveis de comida que cada pessoa come a cada dia ao longo de suas vidas.

Só não vale tentar mastigar menos, porque isso poderá sobrecarregar seu trato gastrointestinal e "gerar entropia" em outras partes do corpo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Qualidade de Vida

Alimentação e Nutrição

Terceira Idade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão