Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

02/11/2012

Genes masculinos alteram interpretação do exame de PSA

Redação do Diário da Saúde

Esperança para o PSA

Com base em uma análise de uma parte específica do DNA do homem, pode ser possível refinar a interpretação dos testes de PSA, minimizando os falsos positivos.

Os exames de PSA (sigla em inglês para antígeno prostático específico) são usados sobretudo para o diagnóstico precoce de câncer de próstata.

Contudo, esse exame tem sido objeto de fortes controvérsias entre os especialistas, a ponto de a Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos Estados Unidos chegar à conclusão de que o exame PSA preventivo faz mais mal do que bem aos homens.

Christel Bjork e Hannah Nenonen, da Universidade de Lund (Suécia), acreditam que a análise do DNA possa reduzir o risco de que os homens recebam os tratamentos desnecessários que ocorrem quando é usado apenas o exame de PSA.

Risco de câncer de próstata

Um nível elevado de PSA no sangue pode indicar um aumento do risco de câncer de próstata.

No entanto, isto não é verdade para todos os homens.

Pior ainda, outros estudos mostraram que a detecção precoce do câncer de próstata não traz benefícios se o PSA for baixo.

De qualquer forma, o problema é que não existe uma maneira eficaz de separar aqueles homens que apenas apresentam níveis naturalmente elevados de PSA, daqueles com um maior risco de ter a doença.

"Se nós soubermos que um homem tem um nível naturalmente alto de PSA, isto poderá ser levado em conta na análise do exame de PSA, e o paciente poderá evitar o duro tratamento, com risco de efeitos colaterais," diz Christel.

Receptor de andrógeno

Os pesquisadores mostraram que as características genéticas do homem podem afetar seu receptor de andrógeno, uma proteína com função importante no sistema reprodutivo masculino.

É ela que regula o efeito da testosterona e controla a produção do antígeno prostático específico, o PSA.

Genes masculinos podem alterar interpretação do exame de PSA
A descoberta dá sustentação às críticas crescentes que o exame vem sofrendo nos últimos anos. [Imagem: Christel Bjork]

Analisando grupos de homens saudáveis de diversas faixas etárias, os pesquisadores descobriram que homens com a variante mais comum do receptor de andrógeno apresentam níveis mais elevados de PSA.

Ou seja, a maioria dos homens apresenta a chamada "elevação do PSA" naturalmente.

O achado dá sustentação às críticas crescentes que o exame vem sofrendo nos últimos anos.

Características genéticas

A boa notícia é que, para aqueles homens que preferem continuar se baseando no exame, a análise genética poderá ajudar a impedir que eles tratem de um câncer que pode nunca existir.

"Tanto o nível de PSA, quanto as características genéticas, podem ser identificados com uma amostra de sangue," disse a professora Yvonne Lundberg Giwercman, que orientou a pesquisa.

"Nós tivemos acesso ao material de cerca de 3.200 homens de sete países europeus, e a ideia é investigar se nossas descobertas preliminares poderão ser verificadas neste grupo no futuro próximo," disse a pesquisadora.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde do Homem

Exames

Prevenção

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?