Gestação de alto risco terá mais apoio do SUS

Existem atualmente no Brasil 196 maternidades de referência em gestação de alto risco habilitadas pelo governo.

São consideradas gestantes com gestação de alto risco as mulheres com doenças que podem se agravar durante a gestação ou com problemas desencadeados neste período, como hipertensão, diabetes, infecções, doenças do coração e do aparelho circulatório.

Agora, o projeto é que esse número chegue a 390, enquanto o número de leitos qualificados atinja 2.885 até 2014.

Para isso, o Ministério da Saúde vai investir na ampliação e na qualificação dos serviços especializados em atendimento a gestantes que passam por gravidez de alto risco.

A estimativa é que sejam investidos R$ 123 milhões ao ano e que 390 mil grávidas sejam beneficiadas.

As maternidades habilitadas para alto risco tipo 1 (menor complexidade) e alto risco tipo 2 (maior complexidade) vão receber valores diferenciados por cada procedimento - partos e cesarianas em gestação de alto risco.

Outra ação envolve recursos para a implantação, ampliação, reforma e custeio das chamadas Casas da Gestante, Bebê e Puérpera - espaços vinculados às maternidades de alto risco.

Segundo o ministério, em 2012 foram aprovados 33 projetos para implantação de unidades no país, sendo 14 para construção, dois para reforma e 17 para ampliação. Do total, 18 casas devem estar em funcionamento até o fim de 2014.


Ver mais notícias sobre os temas:

Atendimento Médico-Hospitalar

Gravidez

Saúde Pública

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.